Brasil

Moro pede demissão e dispara: Bolsonaro queria acesso à relatórios da Polícia Federal

O Ministro da Justiça, Sérgio Moro pediu demissão na manhã nesta sexta-feira (24). Moro realizou uma entrevista coletiva na sede do Ministério para fazer o anúncio. De quebra, fez acusações gravíssimas contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

O estopim para mais essa crise foi a exoneração de Maurício Leite Valeixo do cargo de diretor-geral da Polícia Federal. O decreto com a exoneração de Valeixo foi publicado no Diário Oficial da União na madrugada desta sexta-feira (24). O documento foi inclusive divulgado pelo presidente em seu perfil no Twitter. O ministro afirma ter sido contra a demissão, que Valeixo não queria a demissão e inclusive desmentiu a alegação do presidente de que teria assinado o documento.

“A exoneração, fiquei sabendo pelo DOU. Não assinei esse decreto. Em nenhum momento isso me foi tradizo, em nenhum momento o diretor da PF apresentou um pedido formal de exoneração”, afirmou. “Mas o fato é que não existe nenhum pedido feito de maneira formal, eu fui surpreendido, achei que isso foi ofensivo”, disse.

Após iniciar a fala enumerando suas ações no ministério, o agora ex-ministro disparou uma série de graves acusações contra Bolsonaro. Moro afirmou que a exoneração de Valeixo já era objetivo de Bolsonaro desde o segundo semestre de 2019 e fazia parte de uma tentativa de interferência política do presidente nas investigações da Polícia Federal, incluindo acesso direto a relatórios de operações.

“O presidente me disse que queria alguém que fosse de seu contato, que ele pudesse ligar, ter acesso a relatórios de inteligência e isso não é papel do presidente”, disse. Segundo Moro, o presidente “informou que tinha problemas com processos em curso no STF e, por isso, seria prudente a troca na Polícia Federal”. “É algo que gera uma grande preocupação”, disse.

Moro também destacou que disse ao presidente que não tinha problema nenhum em trocar o diretor-geral da PF, mas que isso deveria ser feito com base em um motivo relacionado ao desempenho do ocupante do cargo. “Eu sempe disse ao presidente que não tinha nenhum problema em trocar o diretor-geral, mas precisava de uma causa relacionada a uma insuficiência de desempenho, a um erro grave. No entanto, o que eu vi durante todo o período, é que o trabalho é bem feito”, avaliou o ministro.

O magistrado resssaltou que ontem conversou com o presidente sobre a possibilidade de mudança no comando da PF e que falou sobre impactos negativos relacionados à decisão. “Falei que isto teria um impacto para todos, que seria negativo, mas para evitar uma crise [política] durante uma pandemia, sinalizei: ‘presidente: então vamos substituir o Valeixo por alguém que represente a continuidade dos trabalhos’”, contou o ministro, revelando que chegou a sugerir o nome do atual diretor-executivo da PF, Disney Rosseti, que é servidor de carreira da corporação.

O então ministro disse ainda que o presidente tem preferências por outros nomes. “me disse, mais de uma vez, expressamente, que queria ter [na direção-geral da PF] uma pessoa do contato pessoal dele, para quem ele pudesse ligar, colher informações, que pudesse colher relatórios de inteligência. Este, realmente, não é o papel da PF”, disse Moro.

Antes de finalizar a entrevista, Moro lembrou, durante o seu discurso, que nem os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, seus notórios adversários políticos, fizeram coisa semelhante.

Foto: Agência Brasil

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: