Amazonas

Governador do Amazonas se nega a assinar carta que pede aumento no valor do Auxílio Emergencial

Uma carta assinada por 16 governadores de Estados brasileiros pediu ao governo Bolsonaro aumento nos valores do novo Auxílio Emergencial. No entanto, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC) não assinou o documento, que foi divulgado nesta quarta-feira (24/03).

Os valores aprovados pelo governo ficaram em R$ 150,00, R$ 250,00 e R$ 375,00, bem abaixo dos R$ 600,00 pagos durante a primeira onda da Covid-19 em todo o país, entre abril e dezembro de 2020. Isso sem contar que não contemplam a mesma quantidade de beneficiários anterior.

Os valores atuais, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) não são capaz de comprar nem a metade dos itens da Cesta Básica em algumas regiões. O benefício foi criado para ajudar a complementar a renda de trabalhadores em regiões que precisem de maiores restrições de mobilidade em virtude da pandemia.

O estado do Amazonas foi uma das unidades da federação em que o número de beneficiados pelo programa superou o de empregos com carteira assinada enquanto a medida esteve em vigor. Foram 1.511.310 pessoas recebendo o valor de R$ 600,00 contra 403.070 postos de trabalho formais. De acordo com o IBGE, o estado é um de maiores taxas de informalidade do país, com 63% da população trabalhando sem carteira assinada.

O grupo de governadores alertou para o momento de maior gravidade do surto e que, enquanto não ocorre o processo de vacinação em massa, as medidas de restrição continuam sendo necessárias. Procurada para comentar a negativa do governador em assinar a cara, a Secretaria de Estado de Comunicação não se manifestou até o fechamento desta notícia.

Foto: Secom-AM

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: