41,5% da população do Amazonas possuI ao menos uma doença crônica

0
Brasília - Cidadãos fazem exames de pressão e glicemia durante mutirão de atendimento e de orientação jurídica para esclarecer dúvidas dos cidadãos que sofrem com a saúde pública ou com problemas nos planos de saúde (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Pesquisa Nacional de Saúde de 2019, divulgada nesta quarta-feira (18) pelo IBGE revela que a doença crônica mais comum entre os amazonenses era a hipertensão arterial. Cerca de 16% da população do estado, na faixa etária de 18 anos ou mais de idade tem a doença. Além dela, cerca de 10,9% possuem colesterol alto. A pesquisa foi realizada em parceria com o Ministério da Saúde, apresenta dados completos sobre diversas doenças crônicas, entre elas, hipertensão, diabetes, colesterol alto, doenças do coração, ocorrência de AVC e outras.

O dado é ainda mais alarmante em Manaus onde a parcela da população atingida é de 36,2%. Isso significa que, em todo o Amazonas, há 424 mil pessoas com hipertensão, sendo 232 mil na capital. O problema também atinge mais mulheres (17,9%) do que homens (13,9%) em todo o estado. A proporção também cresce com a idade: enquanto dentre as pessoas de 18 a 29 anos esta proporção era de apenas 2,8%; dentre as pessoas de 30 a 59 anos, 14,5%, e dentre as de 60 a 64 anos, 37,3%, 47,1% entre as pessoas de 65 a 74 anos e 50,2% entre a população com 75 anos ou mais de idade.

Diabetes

Essa não é a única doença com quadro preocuante em todo o estado. Em 2019, a Pesquisa Nacional de Saúde estimou que no Amazonas 5,4% da população de 18 anos ou mais apresentavam diabetes, o que equivale a 144 mil pessoas. Em Manaus 5,3%, ou seja, 83 mil pessoas, apresentavam a doença. E o pior: cerca de 11,4% no Amazonas, e 6,1%, em Manaus, nunca haviam feito o exame de sangue para medir a glicemia.

Colesterol alto

Ainda de acordo com a pesquisa, os amazonenses também sofrem com colesterol alto. Cerca de 10,9% das pessoas de 18 anos ou mais (289 mil) estão com colesterol alto. Em Manaus, este percentual foi de 9,8%. E são as mulheres que apresentaram proporção maior de diagnóstico médico de colesterol alto (14,2%) do que os homens (7,3%). Em Manaus, 12,1% e 7,3%, respectivamente.

A frequência de pessoas que referiram diagnóstico médico de colesterol alto é mais representativa nas faixas de maior idade: 24,8% das pessoas de 60 a 64 anos de idade, 21,8% das pessoas de 65 a 74 anos de idade e 23,4% para aqueles com 75 anos ou mais, no estado. Em Manaus, estes percentuais foram de 28,8%, 21,5% e 23,8%, respectivamente.

AVC

De acordo com a Pesquisa Nacional da Saúde, em 2019, 2,1% referiram diagnóstico de AVC ou derrame, representando aproximadamente 57 mil pessoas de 18 anos ou mais de idade. Em Manaus, 1,9% referiram diagnóstico de AVC ou derrame, o equivalente a 30 mil pessoas.

A proporção de pessoas com diagnóstico médico de AVC aumentou conforme a idade avançava: variando de 0,9% entre as pessoas de 18 anos a 29 anos até 17,7% entre as com 75 anos ou mais de idade, no Estado. Em Manaus, variou de 1,1% entre as pessoas de 18 anos a 29 anos até 15,0% entre as com 75 anos ou mais de idade.

Asma

No ano de 2019, a Pesquisa Nacional de Saúde apurou que 4,5% das pessoas de 18 anos ou mais de idade referiram diagnóstico médico de asma (ou bronquite asmática) no Amazonas (119 mil pessoas). Em Manaus, este percentual foi de 4,1% ou 64 mil pessoas. No estado, a frequência percentual de mulheres que referiram diagnóstico médico de asma (5,2%) foi maior em relação à proporção de homens (3,8%); em Manaus, 4,8% e 3,4%, respectivamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui