“Declararam que a Covid-19 estava acabada. Insisto que não está”, diz prefeito de Manaus

0

Ao chegar ao nono mês de enfrentamento aos efeitos da pandemia de Covid-19, desde o primeiro caso confirmado do novo coronavírus em Manaus, o prefeito Arthur Virgílio Neto anunciou nesta quinta-feira (05/11), novas estratégias em várias frentes de atuação, para conter o avanço da doença na cidade. Entre elas estão a ampliação da rede de saúde do município, de testagem, de distribuição de medicamentos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), além do reforço de imunização contra a influenza (gripe). Essas medidas vêm se somar ao conjunto de atuações realizadas pela Prefeitura de Manaus, desde março, para prevenção e controle da doença.

“Declararam que a Covid-19 estava acabada. Eu disse, digo e insisto que não está. Mesmo torcendo para eu estar errado, acompanho todos os boletins funerários que o secretário municipal de Limpeza Urbana, Paulo Farias, me envia, referentes a sepultamentos e enterros. Com isso, temos a noção de, mais ou menos, quantos casos de Covid-19 são registrados em um dia, uma semana e em um mês”, alertou Arthur Neto. “Ao que nos cabe, enquanto prefeitura, fizemos, fazemos e faremos o que for necessário para evitar que mais pessoas percam suas vidas para essa doença terrível, que ainda nos assola”, completou o prefeito, em coletiva à imprensa, acompanhado da primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro.

Entre as novas medidas anunciadas estão a inauguração de três clínicas da família e de um centro especializado em reabilitação, com a contratação de mais profissionais de saúde, um dia “D” contra a influenza (gripe), testagem de RT-PCR em mais de 4,5 mil indígenas e 7 mil servidores da saúde, ampliação dos horários de atendimentos nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) preferenciais e testes para 30 mil gestantes na maternidade Moura Tapajóz, ampliação do diagnóstico com a disponibilização de 50 mil testes rápidos e aquisição de 3 milhões de unidades de medicamentos e mais de 3,3 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

O anúncio das novas medidas ocorreu no auditório Isabel Victoria de Mattos Pereira do Carmo Ribeiro, sede da prefeitura, bairro Compensa, zona Oeste, e vem como resposta ao aumento de casos no último mês de outubro e início de novembro, que registrou, até 1º/11, 63.504 casos confirmados, com 2.895 óbitos.

“Não acredito em uma segunda onda avassaladora, mas estou vendo o aumento do número de casos e de mortos. Então, é essencial que reforcemos essas medidas. Dentro do que é atribuição nossa, estamos fazendo o máximo, indo até o limite. Não há quase nada de recursos federais”, reafirmou.

Com informações da Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom). Foto: Alex Pazuello/Semcom

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui