Amazonas Covid-19

Os primeiros sinais da terceira onda de Covid-19 no Amazonas

De acordo com a Fiocruz da Amazônia, o Estado começou a registrar alta nos números de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) nas últimas semanas, o que significa aumento de casos de Covid-19

Embora o Amazonas viva uma situação de aparente estabilidade nos casos de Covid-19, alguns sinais já servem para ligar o sinal de alerta das autoridades do estado. De acordo com o último boletim INFOGRIPE, produzido pela Fiocruz e divulgado nesta quinta-feira (06/05), o estado começou a registrar alta nos números de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) nas últimas semanas, o que significa aumento de casos de Covid-19.

Segundo o boletim, a partir da semana entre os dias 21 a 27 de março de 2021, observa-se interrupção na queda da SRAG em Manaus e, a partir da semana entre os dias 04 a 10 de abril, há uma retomada de subida desses casos, padrão que se estende até a estimativa para a semana do último dia 01 de maio.

De acordo com o gráfico abaixo, que está no alerta epidemiológico, também sugere comportamento ascendente dos casos novos de Covid-19, a partir de meados de abril de 2021, fortalecendo as estimativas de retomada ou recrudescimento da segunda onda em Manaus.

A essa altura, você pode se perguntar por que aumento de SRAG é um sinal de aumento de casos de Covid-19? Afinal, há outras doenças respiratórias como gripes e resfriados. A explicação é simples: como faltam testes RT-PCR para grande parte da população, os sintomas acabam sendo o parâmetro. É como ler uma carta em Braille.

“Como estamos em um momento epidêmico e temos a predominância de um vírus [no caso, o SARS-COV-2], não temos dúvidas que esse aumento é causado pelo novo coronavírus. Se tivéssemos uma ampla cobertura de testagem sobre a população, não precisaríamos recorrer a esse recurso, que não é tão preciso quanto um teste específico”, explica o epidemiologista Jesem Orellana, da Fiocruz da Amazônia.

O comunicado afirma ainda que a liberação de eventos com até 100 pessoas feitas pelo governo do Amazonas, assim como o retorno ao ensino presencial em diferentes níveis educacionais e da visitação da Praia da Ponta Negra pela prefeitura da capital precisam ser urgentemente revistos. Além, é claro, da ampliação da testagem, rastreamento de contatos e da vacinação contra a Covid-19 no Amazonas, sobretudo em contexto de rápida multiplicação de variantes de preocupação.

Foto: Bruno Kelly / Amazônia Real

2 comentários

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: