Covid-19

Boletim Covid-19: Amazonas confirma mais 1.275 casos e Brasil tem recorde de mortes

Fiocruz encontra novas alterações em linhagens que podem favorecer escape de imunidade

A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) confirmou o registro de 1.275 novos casos de Covid-19, totalizando 340.785 casos da doença no estado nesta terça-feira (23/03). Você pode conferir os dados completos no site da FVS-AM.

Foram confirmados 18 óbitos por Covid-19, sendo 11 ocorridos no dia 22/03 e sete óbitos foram encerrados por critérios clínicos, elevando para 11.836 o total de mortes. A Prefeitura de Manaus registrou 48 sepultamentos nesta terça, sendo 13 declarados como Covid-19.

Entre os casos confirmados há 781 pacientes internados, sendo 358 em UTI. A taxa de ocupação de UTI’s é de 75%, sendo 76% na rede pública e 73% na rede particular.

Com relação a vacinas, dados parciais do Programa Nacional de Imunização (PNI) apontam que 521.336 doses foram aplicadas em todo o estado até esta terça, sendo 403.455 de primeira dose e 117.881 de segunda dose.

Amazonas zera chamados por leitos de UTI

Segundo a Secretaria do Estado (SES-AM), o Amazonas zerou o número de chamados de transferência de pacientes com Covid-19 para leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), na rede pública de Manaus. Pelo segundo dia consecutivo, o Boletim Epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) fechou sem registrar pedidos de transferências em aberto na capital.

Novo recorde no Brasil

Já o Brasil, infelizmente, atingiu um novo recorde de mortes confirmadas em 24 horas: foram 3.251 novos óbitos. Ao todo, o país chegou a 12.130.019 casos confirmados nesta terça-feira. O número de mortos pela doença, por sua vez, chegou a 298.676. Nas últimas 24 horas foram registrados 82.493 novos casos.

Fiocruz encontra novas alterações em linhagens

Pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e instituições parceiras detectaram novas variações genéticas em amostras do SARS-CoV-2 coletadas no Brasil. Segundo a Fiocruz, foram encontrados, em 11 sequenciamentos genéticos, alterações importantes na proteína spike (S), que é um dos principais alvos dos anticorpos produzidos pelo corpo humano para combater o vírus.

As 11 alterações encontradas ainda não são recorrentes o suficiente para caracterizar uma nova linhagem, de acordo com a Fiocruz. Apesar disso, as amostras que apresentaram essas mudanças foram coletadas em sete estados brasileiros: Amazonas, Bahia, Maranhão, Paraná, Rondônia, Minas Gerais e Alagoas. Possivelmente, tais mudanças também podem ajudar o vírus a escapar do sistema imunológico, o que ainda precisa ser comprovado por pesquisas complementares.

Com informações da Secretaria de Estado da Comunicação (Semcom). Foto: Paulo Desana/Dabakuri/Amazônia Real

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: