Amazonas

Mesmo com 92% das UTI’s ocupadas, Amazonas flexibiliza atividades econômicas

O governo do Amazonas decidiu flexibilizar atividades econômicas mesmo com o estado ainda na chamada “Fase Roxa”, considerada a mais crítica na classificação de risco da pandemia da Covid-19. O anúncio foi feito via redes sociais na tarde desta sexta-feira (05/02) pelo governador Wilson Lima. O decreto com as mudanças será publicado neste sábado (06/02), começará a valer na próxima segunda-feira (08/02) e terá duração de sete dias.

“Ainda estamos na Fase Roxa. Nossa situação ainda é muito difícil. Mas entendemos ser necessário fazer alguns ajustes”, justificou o governador. O novo decreto, que será válido à partir da próxima segunda-feira (05/02), o toque de recolher para a população voltará a ser entre as 19h e 06h.

Com relação às atividades econômicas, o comércio só poderá funcionar para vendas via internet e no sistema de delivery, bem como serviços de assistência técnica de aparelhos como fogões, geladeiras e outros poderão acontecer, além do controle de pragas, todos entre 08h e 17h.

A indústria poderá funcionar por 24 horas, com ajuste de turnos, para não haver deslocamentos entre 19h e 06h. Todas as empresas deverão ficar atentas aos protocolos de segurança. Obras estão liberadas na área da saúde, infra-estrutura e indústria. Também serão permitidas obras emergenciais de reparo de segurança predial. Obras familiares também poderão retornar, desde que o empregador forneça o transporte dos trabalhadores.

Lojas de conveniência funcionarão até às 18h, sem consumo no local. Restaurantes e bares poderão funcionar como delivery e em sistema de retirada no local (drive-thru), de 06h às 18h. Instituições filantrópicas poderão recolher doações de 08h até 17h. Também foi confirmado o cancelamento do feriado de carnaval e a proibição de aglomerações festivas.

O governador afirmou ainda que a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) vai acompanhar o cenário epidemiológico para avaliar os próximos passos. Wilson Lima prometeu ainda que, caso o cenário de estabilidade visto nas últimas semanas se altere e as internações voltarem a subir, o decreto pode ser revisto. “Vai depender muito do comportamento dos números”, alerta.

Números – O Amazonas tem atualmente 276.551 casos de Covid-19, 8.716 mortes e 2.050 pacientes internados. A taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva está em 92%, sendo 96% na rede pública e 80% na rede particular.

Foto: Herick Pereira/Secom

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: