Brasil

BR: Governo quer trocar novo auxílio por pauta fiscal; E ainda: inflação sobe

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, se reuniu na noite desta quinta-feira (4) com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para estabelecer os termos da “parceria” entre os poderes Legislativo e Executivo na pauta econômica. Pacheco disse que o Congresso dará andamento a uma agenda de reformas fiscais, e, em troca, quer a dedicação do ministério na elaboração de um novo programa de renda emergencial.

Pacheco assegurou que o Congresso vai priorizar um novo “protocolo fiscal” para o país, que inclui a aprovação de três propostas de emenda à Constituição (PECs) elaboradas pelo governo: a PEC Emergencial (186/2019), com medidas para a contenção de despesas públicas; a PEC dos fundos (187/2019),  que libera recursos parados em fundos constitucionais; e a PEC do Pacto Federativo (188/2019), que redefine relações financeiras entre os entes da Federação.

O ministro Paulo Guedes afirmou que essas medidas farão com que seja possível discutir um novo programa de renda, que, segundo ele, seria direcionado aos beneficiários do auxílio emergencial que não recebem o Bolsa-Família. Guedes não descartou uma nova decretação de estado de calamidade, assim como no início de 2020.

Inflação sobe

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), teve inflação de 2,91% em janeiro deste ano, taxa superior às apuradas em dezembro de 2020 (0,76%) e em janeiro daquele ano (0,09%). Com o resultado, o IGP-DI acumula inflação de 26,55% em 12 meses. A alta de dezembro para janeiro foi puxada principalmente pelos preços no atacado, medidos pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo.

Desemprego

O Indicador Antecedente de Emprego (Iaemp), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 2,2 pontos em janeiro deste ano ano e chegou a 83,5 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos. No mês anterior, o indicador registrou uma alta de 1,2 ponto. O índice busca antecipar tendências do mercado de trabalho para os próximos meses, com base em entrevistas com consumidores e empresários da indústria e dos serviços.

Com informações da Agência Senado. Foto: Marcos Brandão

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: