Amazonas

Especialistas não concordam com adiamento da segunda dose para “privilegiados”

Neste sábado (23/01), a juíza da 1ª Vara de Justiça Federal do Amazonas, Jaiza Fraxe, decidiu proibir qualquer pessoa que tenha ‘furado a fila’ de prioridades para a vacinação contra a Covid-19 em Manaus de tomar a segunda dose da vacina CoronaVac até que chegue a sua vez, de fato e de direto. Pensando no impacto da decisão do ponto de vista de saúde pública, o Vocativo conversou com especialistas da área a respeito.

A avaliação geral é que uma punição é justa, mas adiar a segunda dose pode trazer problemas para o enfrentamento da pandemia. “Os fura-fila precisam ser exemplarmente punidos, mas não com a proibição da segunda dose. Isso não é positivo pensando no todo” afirmou o epidemiologista Jesem Orellana, da Fiocruz da Amazônia. 

A opinião é a mesma de Mellanie Fontes-Dutra, biomédica, pesquisadora e coordenadora da Rede Análise Covid. “Tem que dar o regime completo [duas doses]. A aprovação emergencial foi para o regime completo. Um erro (o de furar a fila) não justifica outro (de não seguir o regime recomendado)”, ponderou.

Vale lembrar que a decisão da magistrada deixa claro que não se trata da proibição total da segunda dose, mas do seu adiamento até que chegue a vez de cada uma delas de acordo com o cronograma de vacinação. Ou seja, essas pessoas teriam acesso à vacina garantido.

No entanto, com o atraso na entrega do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) da farmacêutica Sinovac para que o Instituto Butatan possa fabricar as vacinas, ainda não há prazo para a chegada de mais doses da CoronaVac, o que pode anular a primeira dose do imunizante em quem já o recebeu. E aí reside o outro problema.

“Uma dose só de vacina inativada é imunidade zero. As outras vacinas conferem alguma proteção apos uma dose, mas a CoronaVac não. Castigo para quem furou a fila, sim, mas dessa forma não é inteligente”, alertou o virologista Eduardo Flores, da Universidade Federal de Santa Maria, no Rio Grande do Sul (UFSM).

Por determinação do conselheiro-presidente do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM), Mario de Mello, a lista enviada pela Secretaria de Municipal de Saúde (Semsa) com os nomes dos vacinados com a Coronavac será disponibilizada, da forma como fora encaminhada, no portal do TCE na próxima segunda-feira (25), às 9h.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: