Amazonas

Após colapso na capital, interior do Amazonas também vê rede de saúde perto do limite

Após o colapso no sistema de saúde do Amazonas em virtude do aumento descontrolado de casos de Covid-19, a preocupação se volta agora para o interior. A prefeitura de Eirunepé decretou situação de emergência pelos próximos 120 dias no município. Neste sábado (16), o prefeito Raylan Barroso comunicou que, com avanço da doença em Manaus, a administração já estuda novas ações e medidas restritivas a partir da próxima semana.

O município de Eirunepé possui mais de 35 mil habitantes, segundo dados do IBGE (2020), com 2.893 casos de covid-19 e 13 óbitos, o que equivale a 0,41% do total de casos, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.

“Na próxima semana, vamos reativar as barreiras sanitárias nos portos e aeroporto. Aumentar a equipe de fiscalização com apoio da polícia civil, militar e capitania dos portos. Ainda, avaliar dia a dia o avanço de casos na cidade, adotar medidas mais rígidas como: fechamento de estabelecimentos comerciais e de serviços não essenciais, inclusive o aeroporto regional de Eirunepé e os portos municipais”, afirmou o prefeito de Eirunepé.

Além do decreto de emergência, na cidade também está estabelecido o uso obrigatório de máscaras de proteção facial, a proibição de eventos e/ou atividades de qualquer natureza, pública ou privada, dentre outras medidas, sob pena de multa ou fechamento.

Itacoatiara

Enquanto isso, a Justiça do Amazonas, por meio do juiz de direito Rafael Almeida Cró Brito, acatou Ação Civil Publica, ajuizada pelo Ministério Público do Amazonas (MPAM) e Defensoria Publica do Estado (DPE), e determinou que o Estado forneça 150 cilindros de oxigênio para o Hospital Regional José Mendes em Itacoatiara, unidade de referêcia para o tratamento de pacientes na região do médio rio Amazonas. A ordem tambem faz garantir a inclusão dos pacientes internados no Hospital Regional em planos de ação do governo como a remoção de pacientes para outros Estados do país, para evitar mais óbitos.

O Governo do estado tem o prazo de 12 horas, para o abastecimento do tanque estacionário local, e para disponibilizar os cilindros de oxigênio medicinal ao Município, o que corresponde à necessidade diária com a atual demanda, sob pena de multa de R$20.000,00 por hora de descumprimento. O Estado também deverá elaborar e programar, no prazo máximo de 12 horas um plano de evacuação para outros Estados, específico para os pacientes de Itacoatiara, inseridos no Sistema de Transferências de Emergências Reguladas (SISTER), independentemente de remoção prévia para Manaus.

O município conta, hoje, com 77 pacientes internados e precisando de oxigenação, e apresenta uma curva ascendente diária de internação de 20 pacientes por dia, todos necessitando de oxigênio, havendo deficiência constante de de fornecimento deste gás essencial desde o início de janeiro de 2021.

Coari

A Prefeitura de Coari confirmou que ainda esta semana estará funcionando no município uma usina própria de oxigênio. A medida faz parte dos esforços do município de investimento na saúde e no combate a Covid-19 e torna o município auto suficiente na produção e abastecimento local.

A estrutura já está a caminho do município e entrará em funcionamento até quarta-feira (20). A usina terá capacidade para atender o hospital com abastecimento direto, assim como para envasar cilindros que serão utilizados nas UBS, ambulâncias, comunidades interioranas, e terá capacidade ainda de atender cidades próximas.

Foto: Semcom – Manaus

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: