Brasil

Bolsonaro é eleito “Corrupto do Ano” por consórcio investigativo

O presidente Jair Bolsonaro venceu o título simbólico de Personalidade do Ano do Projeto de Relatórios de Crime Organizado e Corrupção em 2020, pelo Projeto de Reportagem de Crime Organizado e Corrupção (OCCRP em inglês), uma Organização Não Governamental (ONG) fundada em 2006 que atua como um centro de investigação, mídia e jornalistas que operam na Europa Oriental, Cáucaso, Ásia Central e América Central.

Segundo a entidade, Bolsonaro por se cercou de figuras corruptas, usou propaganda para promover sua agenda populista, minar o sistema de justiça e travar uma guerra destrutiva contra a Amazônia região que enriqueceu alguns dos piores proprietários de terras do país.

O presidente venceu por pouco dois outros líderes populistas, o presidente dos Estados Unidos Donald Trump e o presidente turco Recep Erdogan, pelo duvidoso prêmio. Ambos os finalistas também lucraram com a propaganda, minaram as instituições democráticas em seus países, politizaram seus sistemas de justiça, rejeitaram acordos multilaterais, recompensaram círculos internos corruptos e moveram seus países da lei e da ordem democráticas para a autocracia. O oligarca ucraniano Ihor Kolomoisky completou a lista dos finalistas.

“Esse é o tema central do ano”, disse Louise Shelley, diretora do Centro Transnacional de Crime e Corrupção (TraCCC) da George Mason University, que participou do painel do prêmio. “Todos são populistas causando grandes danos aos seus países, regiões e ao mundo. Infelizmente, eles são apoiados por muitos, que é a chave do populismo. ”

“A família de Bolsonaro e seu círculo íntimo parecem estar envolvidos em uma conspiração criminosa em andamento e têm sido regularmente acusados ​​de roubar as pessoas.” disse Drew Sullivan, editor do OCCRP e juiz do painel. “Essa é a definição de livro de uma gangue do crime organizado.”Seu filho Carlos, vereador do Rio de Janeiro, está sendo investigado por um esquema de repartição de salários na cidade. A ex-mulher de Jair também está envolvida em um esquema de divisão de salários.

A ONG também cita os diversos escândalos envolvendo a família de Bolsonaro durante seus dois primeiros anos na presidência, dentre eles as de que seu filho Eduardo fez campanha de propaganda para enganar os eleitores com as chamadas fake news, a prisão de Marcelo Crivella, o prefeito do Rio de Janeiro, por corrupção, além, claro, do esquema conhecido como “rachadinha” envolvendo seu filho mais velho, o senador Flávio Bolsonaro.

Os vencedores anteriores do prêmio de pessoa do ano incluíram Vladimir Putin, o presidente do Azerbaijão Ilham Aliyev e o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte.

OCCRP é uma plataforma de reportagem investigativa para uma rede mundial de centros de mídia independentes e jornalistas e uma das maiores organizações de reportagem investigativa do mundo, publicando mais de 150 histórias investigativas por ano.

Foto: EBC

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: