Amazonas

Covid-19: Amazonas tem 95 internações em 24h e rede privada se aproxima do colapso

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) antecipou mais uma fase do Plano de Contingência Estadual para o Recrudescimento da Covid-19. Neste domingo (27/12), após o registro de 95 novas hospitalizações em um único dia, a secretaria deu segmento à quarta fase do plano de abertura de leitos Covid e começou o movimento para a mudança de perfil do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na zona centro-sul de Manaus.

Conforme o Boletim Diário de Covid-19 da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), esse é o maior número de internações em um único dia, desde o dia 15 de maio, quando foram registradas 82 hospitalizações. Dessas internações  88 são na capital e apenas 7 no interior, o que obriga a SES-AM a acelerar a mudança de perfil das unidades da rede estadual na capital.

Com a mudança de perfil, o HPS 28 de Agosto, que estava com 12 leitos de UTI Covid-19, passa a contar com 40 leitos. Conforme o plano, os 12 leitos de UTI do 5º andar, que eram para a Covid-19, se transformam agora em leito de UTI geral e os 40 leitos de UTI geral do 1º andar serão todos Covid-19.

Ainda na noite de domingo, a SES-AM mobilizou hospitais gerais, como o Adriano Jorge e o Getúlio Vargas, além de outras unidades definidas no plano como unidades de retaguarda, para receberem 27 pacientes não Covid-19 internados na UTI do 1º andar do HPS 28 de Agosto e, assim, destinar o espaço para receber pacientes com a Covid-19.  O hospital também vai reservar um outro andar exclusivo para leitos clínicos Covid-19.

O mesmo movimento foi feito entre quarta-feira da semana passada e este domingo para transformar o HPS Platão Araújo, na zona leste, em unidade referência para a Covid-19. Nesse intervalo, 119 leitos da unidade – 89 clínicos e 30 de terapia intensiva – foram transformados em leitos exclusivos para a Covid-19. Uma nova enfermaria com 31 leitos está sendo preparada para essa finalidade na unidade.

Assim como aconteceu com o Hospital Beneficente Português, há a possibilidade de habilitação de leitos do Hospital da Universidade Nilton Lins, não mais como unidade gerenciada pelo Estado e sim atuando como unidade da rede particular. Nesse caso, a SES-AM credencia os leitos para serem habilitados na Tabela SUS do Ministério da Saúde.

O secretário destacou que a ajuda da população, neste momento, é fundamental. “Nós vamos fazer suma reorganização. A rede tem capacidade instalada para absorver a demanda atual de casos de Covid-19,  desde que a população colabore, mantendo distanciamento social e todos os cuidados para não transmitir o vírus. Nós temos opções de leitos, mas precisamos organizar a rede para transformar hospitais especializados em outros atendimento para atendimento Covid-19”, disse o secretário.

O secretário ressaltou que a rede trabalhou para esse momento, realizando ainda em novembro mais de 250 cirurgias no período noturno. A medida ajudou a esvaziar os prontos-socorros João Lucio machados, 28 de Agosto e Platão Araújo.

Rede privada perto do colapso – O hospital Santa Júlia, localizado no centro de Manaus, anunciou neste domingo via redes sociais que está completamente lotado. Em virtude disso, a direção do hospital pediu máxima cautela aos moradores da cidade. Em entrevista na última quarta-feira (23/12), o governador Wilson Lima já havia alertado que a rede particular de atendimento de saúde da capital já se aproximava do colapso.

Com informações da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom). Foto: Divulgação SES-AM

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: