Uma das cidades mais afetadas pela pandemia, Manaus escolhe novos representantes

0

O Brasil vai às urnas neste 15 de novembro de 2020 escolher seus novos prefeitos e vereadores. No meio da maior crise sanitária em cem anos e sendo uma das cidades mais afetadas em todo o mundo pela pandemia do novo coronavírus, Manaus terá a tarefa de escolher seus novos gestores diante de um cenário de incertezas.

Com índices ainda altos de internações em UTI’s mostram que os primeiros meses (talvez anos) da nova administração municipal será sob a sombra da pandemia. O que significa que o primeiro grande desafio dos novos gestores municipais na educação será decidir como serão as aulas durante o ano.

A queda de arrecadação a partir de 2021 em virtude da pandemia é outro problema a ser enfrentado pelo novo prefeito. A atual gestão prevê déficit de R$ 400 milhões no orçamento no próximo ano. Tudo isso em uma cidade ainda com sérios problemas de saneamento básico e mobilidade urbana. Ou seja: há problemas a resolver e menos dinheiro para isso.

Também caberá ao novo prefeito organizar um aspecto fundamental para a futura vacinação contra o novo coronavírus: a conscientização. A administração municipal é a responsável por promover ações de educação em saúde, ou seja, as campanhas de vacinação. Algo que deverá ser um sério desafio diante da politização das vacinas promovidas pelo presidente Jair Bolsonaro.

Confira um resumo de cada candidato:

Alfredo Nascimento (PL)
Em 1997, foi eleito pela primeira vez prefeito de Manaus e reeleito em 2000, após derrotar Eduardo Braga. Em 2004, foi escolhido Ministro dos Transportes pelo ex-presidente Lula, e voltou ao cargo em 2007, ficando até 2010.

Amazonino Mendes (Podemos)
Mendes, de 80 anos, nasceu em Eirunepé. Em 1983, chegou pela primeira vez à Prefeitura de Manaus. Em 1986, após o término do seu mandato de prefeito, foi eleito pela primeira vez governador do Amazonas. Em 1990, o político chegou ao Senado. Dois anos após ser eleito senador, Amazonino retornou à Prefeitura de Manaus. Desta vez, o mandato do político durou somente dois anos. Isso porque, em 1994, ele deixou o cargo para assumir, pela segunda vez, a função de governador do estado, sendo reeleito em 1998. Em 2004, tentou candidatura à Prefeitura de Manaus, mas foi derrotado por Serafim Corrêa (PSB). Em 2006, amargou outra derrota, desta vez para o governo do Estado. Foi vencido por Eduardo Braga (MDB) ainda no primeiro turno. Em 2008, Amazonino voltou a se candidatar à Prefeitura, sendo eleito no 2º turno. Após o fim do mandato, não tentou a reeleição. Em 2017, foi eleito governador pela quarta vez, após a cassação do ex-governador José Melo.

David Almeida (Avante)
Bacharel em Direito, David Almeida tem 51 anos e iniciou sua carreira política aos 27 anos. Foi Deputado Estadual por três mandatos consecutivos, sendo eleito pela primeira vez em 2006. O segundo mandato foi em 2010 e o terceiro em 2014. David Almeida foi eleito Presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas para o biênio 2017/2018, na eleição ocorrida em 20 de dezembro de 2016, com 17 votos. Em 2017 foi governador interino do Amazonas após a cassação de José Melo de Oliveira e seu vice pelo Tribunal Superior Eleitoral. Em maio de 2019, saiu do Partido Socialista Brasileiro e filiou-se ao Avante.

Ricardo Nicolau (PSD)
Luis Ricardo Saldanha Nicolau é diretor do Grupo Samel, deputado estadual pelo PSD e, desde julho deste ano, é presidente municipal do PSD, partido que ajudou a fundar há quase uma década. Tem 45 anos de idade, é natural de Manaus e casado com a advogada Marcia Nicolau, com quem tem duas filhas. Nicolau começou a trabalhar aos 16 anos, ao lado do pai, o médico neurocirurgião e ex-deputado federal Dr. Luiz Fernando Nicolau, na administração do Hospital e Pronto-Socorro dos Acidentados e, posteriormente, na Sociedade Pró-Saúde. Em 2011, foi eleito presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), para o primeiro biênio da 17ª Legislatura, vencendo por 21 votos a três, o mais jovem presidente da história. Em 2013, assumiu os cargos de Ouvidor-Corregedor e presidente da Comissão de Saúde da Aleam.

Gilberto Vasconcelos (PSTU)
Gilberto Vasconcelos da Silva é professor da rede municipal e tem 53 anos. Foi candidato a vice-governador em 2014, quando Hebert Viana disputou uma vaga para o governo. Também disputou uma vaga para vereador, em 2016. Atualmente, preside o diretório estadual do partido. Gilberto também é membro da Central Sindical e Popular – Conlutas do Amazonas.

José Ricardo (PT)
José Ricardo Wendling tem 56 anos, é um economista e político brasileiro filiado ao Partido dos Trabalhadores e atualmente deputado federal pelo Amazonas. Esta é a segunda vez que José Ricardo disputa uma vaga para prefeito de Manaus. A primeira foi em 2016. Nascido no Rio Grande do Sul, mora em Manaus desde os 7 anos de idade. Formou-se em Economia na Universidade do Amazonas e em Direito pela Faculdade Nilton Lins. Atuou como professor, além de prestar consultoria econômica. Filiado ao PT desde 1995, disputou duas vezes à Câmara Municipal de Manaus até ser eleito vereador em 2004. Foi reeleito em 2008. Em 2010, venceu a eleição para deputado estadual; e em 2014, foi reeleito à Assembleia Legislativa do Amazonas.

Marcelo Amil (PCdoB)
O advogado Marcelo Amil tem 36 anos e está há 3 meses no partido. Ele foi instituído como membro do Comitê Regional do PCdoB no último dia 29 de julho. Amil começou sua jornada em prol dos movimentos aos 17 anos. Na época, Amil foi eleito presidente de grêmio estudantil e, posteriormente, eleito vice-presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de Manaus. Já foi secretário de liderança parlamentar na Assembleia Legislativa do Amazonas, pré-candidato a senador da república, pré-candidato a governador do Amazonas e candidato a deputado federal.

Capitão Alberto Neto (Republicanos)
Capitão Alberto Neto tem 38 anos, foi professor de matemática, militar das Forças Armadas e oficial da Polícia Militar do Amazonas, onde comandou a Ronda Cândido Mariano (Rocam) , as 2ª e 26ª Companhia Interativa Comunitária (CICOM). É Bacharel em Direito, com pós-graduação em gestão pública. Foi eleito, em 2018, deputado federal com 107.168 mil votos.

Chico Preto (Democracia Cristã)
Iniciou sua carreira política aos 23 anos de idade, ao se candidatar a uma vaga no parlamento municipal, conquistando uma suplência. No ano de 1994, atuou na Secretaria Executiva da Semosb (Secretaria Municipal de Obras). Em 1996, conquistou seu primeiro mandato como vereador pelo PSC, com 2 456 votos. Reelegeu-se em 2000, com 7 428 votos. Entre 2003 e 2004, Chico Preto foi Secretario de Estado do Trabalho e Cidadania (Setraci), na gestão de Eduardo Braga.

Coronel Menezes (Patriota)
O coronel de reserva do Exército Brasileiro Alfredo Alexandre de Menezes Júnior, Menezes é manauara e estudou no Colégio Militar de Manaus (CMM) e na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAM), onde cursou Arma de Engenharia. Assumiu a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), cargo que deixou em junho deste ano.

Romero Reis (Novo)
Romero Reis é engenheiro, empresário e major da reserva do Exército Brasileiro. Estudou em escolas públicas, se formou na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), e no Instituto Militar de Engenharia (IME) e concluiu pós-graduação MBA pela FGV em Gestão Estratégica e Econômica de Negócios. Entre 2015 e 2018, Romero foi presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Estado do Amazonas (ADEMI/AM), onde criou o Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus, do qual foi o primeiro presidente e tem como objetivo reunir cidadãos apaixonados por Manaus que desejam atuar para inserir a capital amazonense entre as melhores cidades brasileiras para se viver e trabalhar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui