Vendas do varejo do Amazonas desaceleram e voltam aos níveis pré-pandemia

0

As vendas do comércio varejista do Amazonas caíram 2,5% em setembro, após apresentar taxa positiva consecutiva desde maio. O resultado mostra uma desaceleração frente às altas dos meses anteriores – agosto (0,7%), julho (5,4%), junho (34,5%) e maio (12,4%).

Com a variação de -2,5% em setembro, o patamar do comércio varejista amazonense, que havia atingido nível recorde em julho, desacelera e volta a um patamar pouco abaixo do que estava antes das paralisações em razão da pandemia da Covid-19. Mas, apesar da desaceleração, na comparação com setembro de 2019, o comércio amazonense cresceu 13,4%. As informações são da Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), divulgada nesta quarta-feira (11), pelo IBGE.

Em setembro, as vendas do varejo no país também desaceleraram frente a agosto, no entanto, ao contrário do que houve no comércio amazonense, a variação brasileira manteve-se positiva (0,6%). Mas na variação acumulada no ano (janeiro a setembro), que compara o volume de vendas do período atual com o mesmo período do ano anterior, o Amazonas obteve o terceiro maior crescimento (5,7%), inferior apenas ao do Pará (7,2%) e igual ao do Maranhão (5,7%).

No acumulado no ano (janeiro a setembro de 2020), o setor apresenta crescimento de 5,7%, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Já no acumulado dos úl-timos doze meses, o indicador alcançou 7,0%, no Estado.

A variação percentual que compara o volume de vendas do mês atual com o volume do mês anterior, de -2,5%, obtida em setembro, posicionou o comércio varejista do Amazonas na 8ª posição entre as outras unidades da federação. Os piores desempenhos foram os do Maranhão, com -5,9%, Amapá, com -5,5% e Ceará, com -4,4%. E os melhores desempenhos, os do Piauí, com 5,7%, São Paulo, com 2,1% e Espírito Santo, com 1,8%.

A variação percentual acumulada no ano (janeiro a setembro), que compara o volume de vendas do período atual com o mesmo período do ano anterior, de 5,7%, obtida em setembro, colocou o comércio varejista do Amazonas entre os que apresentaram maiores crescimentos. Os piores desempenhos foram os do Ceará, com -9,3%, Bahia, com -6,2% e Sergipe, com -6,1%. E os melhores desempenhos foram os do Pará, com 7,2%, Maranhão, com 5,7% e Amazonas, também com 5,7%.

Foto: Semcom-Manaus

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui