Amazônia: área mais afetada por queimadas não está no roteiro de Mourão

0
Nuvens de fumaça durante um incêndio em uma área da floresta amazônica perto de Humaitá, Estado do Amazonas, Brasil, Brasil 17 de agosto de 2019.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), anunciou que levará embaixadores para conhecer a Amazônia nesta quarta-feira (04/11), na tentativa de convencê-los de que não há queimadas na região. No entretanto, o Sul do Amazonas, região onde estão concentrados os principais focos de queimadas e desmatamento, não está no roteiro do vice-presidente.

O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) afirmou nesta terça-feira (03/11), durante sessão híbrida na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), que a postura do vice-presidente em esconder a devastação na Amazônia, como tentativa equivocada de melhorar a imagem da floresta no exterior, é lamentável, tendo em vista que as verdadeiras informações podem ser visualizadas através de imagens de satélites.

“Isto é uma fotografia de satélite em que mostra onde tem desmatamento e onde têm queimadas. Queimadas estão no Sul do Estado, na fronteira com o Matogrosso, na região de Apuí e Santo Antônio do Matupi. Aí o vice-presidente convida embaixadores para mostrar que não há queimadas na Amazônia e diz que vai levá-los para Manaus e Boa Vista, para mostrar que não há queimadas e que está tudo verde. Nessa região a floresta está verde, as queimadas estão no Sul do Estado”, afirmou Serafim.

Segundo o parlamentar, a proposta de Mourão poderá prejudicar ainda mais a relação do Brasil com as potências mundiais. “Será que o general Mourão acha que os embaixadores não sabem disso? Como que os embaixadores da Europa, com interesses comerciais não sabem? Isso é fácil de identificar pelos satélites. Lamento a postura do vice-presidente Mourão, que comete um equívoco que pode ser muito grave, principalmente a depender do resultado das eleições americanas“, concluiu.

Amazônia: área mais afetada por queimadas não está no roteiro de Mourão 1

Recorde

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgados em setembro mostram que o número de queimadas no Amazonas em 2020 superou o recorde anterior, de 2005, e passou a ser o maior da história. O estado já registrou 15.700 focos ativos, enquanto em 2005 o acumulado de todo o ano foi de 15.644 casos.

Agosto também registrou o maior número de queimadas para um único mês nos últimos 22 anos. Segundo a tabela de Monitoramento dos Focos Ativos por Estado do Inpe, foram 8.030 casos de queimadas em todo o Estado.

Com informações da assessoria de imprensa do deputado Serafim Correia. Foto: EBC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui