Europa sofre com terrorismo e nova onda da Covid-19

0
16/10/2020. London, United Kingdom. Boris Johnson Brexit Clip after the EU Summit .The Prime Minister Boris Johnson preparing his Brexit statement in his office in No10 Downing Street, before filming a clip to the media on his reaction after the EU Summit. Picture by Andrew Parsons / No 10 Downing Street

O Reino Unido ainda tenta resistir à pressão para impor um segundo lockdown nacional depois que França e Alemanha adotaram restrições abrangentes à vida social para conter uma disparada de infecções por coronavírus que colocou os serviços de saúde no limite.

O governo do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, evitou até o momento um lockdown de âmbito nacional, preferindo um sistema escalonado de controles locais concebidos para endurecer as medidas em regiões afetadas e deixando outras menos limitadas.

Um novo estudo do Imperial College de Londres sublinhou a situação aflitiva enfrentada pelo Reino Unido, país com o maior número de mortes de coronavírus na Europa, mostrando que os casos da Inglaterra dobram a cada nove dias.

Alemanha

A Alemanha imporá lockdown emergencial de um mês, que inclui o fechamento de restaurantes, academias de ginástica e teatros para reverter um pico de casos de coronavírus que pode sobrecarregar os hospitais, disse a chanceler Angela Merkel, nesta quarta-feira (28).Europa sofre com terrorismo e nova onda da Covid-19 1Europa sofre com terrorismo e nova onda da Covid-19 2

A partir de 2 de novembro, reuniões particulares serão limitadas a dez pessoas de, no máximo, duas casas. Restaurantes, bares, teatros, cinemas, piscinas e academias de ginástica serão fechadas, e shows serão cancelados. Competições esportivas profissionais só poderão ser realizadas sem espectadores.

Escolas e creches permanecerão abertos, assim como lojas, contanto que respeitem o distanciamento social e regras de higiene. As normas de âmbito nacional substituem uma colcha de retalhos confusa de medidas regionais. Para tornar as medidas mais palatáveis, especialmente para empresas menores, a Alemanha oferecerá ajuda financeira para aqueles que forem prejudicados pela novas restrições.

Os casos aumentaram em 14.964 e chegaram a 464.239 nas últimas 24 horas, disse o Instituto Robert Koch, a agência de doenças infecciosas alemã, nesta quarta-feira. As mortes aumentaram em 85 e chegaram a 10.183, intensificando o temor em relação ao sistema de saúde depois que Merkel alertou que ele pode chegar a um ponto de ruptura se as infecções continuarem a disparar.

França

Na França, Pelo menos três pessoas morreram e várias ficaram feridas, em um esfaqueamento, ocorrido na cidade francesa de Nice. O ataque aconteceu na manhã desta quinta-feira (29), em uma igreja. O autor do ataque foi detido. O ataque elevou o nível de alerta de segurança para o patamar mais alto. O primeiro-ministro do país, Jean Castex, disse à Assembleia Nacional do país que a resposta do governo ao ataque será firme e implacável.

Em outro episódio na manhã de hoje em Montfavet, perto da cidade de Avignon, no sul da França, a polícia francesa matou um homem em depois que ele havia ameaçado pedestres com uma arma, informou a polícia, confirmando relatos da mídia. De acordo com a emissora de rádio francesa Europe 1, o homem gritou “Allahu Akbar” (Deus é grande).

Com informações da Agência Brasil. Foto: Andrew Parsons / Nº 10 Downing Street

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui