Amazonas

Assembleia Legislativa do Amazonas permite reabertura de igrejas em plena pandemia

Em momento crítico da pandemia do novo coronavírus no Estado, a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aprovou, em Sessão virtual nesta quarta-feira (6), o Projeto de Lei (PL) nº 136/2020, que torna as igrejas e os templos de qualquer culto atividade essencial em períodos de calamidade pública.

De autoria do deputado estadual João Luiz (Republicanos – foto), a proposta foi subscrita pelos deputados Felipe Souza (Patriotas), Josué Neto (PRTB), Delegado Péricles (PSL) e Fausto Jr. (PV) e, agora, segue para a sanção do governador Wilson Lima (PSC). Apenas os deputados Serafim Corrêa (PSB) e Dermilson Chagas (PP) votaram contra.

A justificativa para o projeto, segundo o parlamentar, é o “livre exercício dos cultos religiosos” e que as igrejas seriam uma espécie de “hospital da alma”. Segundo o texto, “igrejas e templos de qualquer culto veda a participação de idosos com 60 anos de idade ou mais; de pessoas que possuam algum problema de saúde ou estejam com algum sintoma de gripe ou Covid-19; de pessoas que estejam convivendo com infectados pelo coronavírus e de crianças”.

O funcionamento dos locais, segundo a proposta, ocorrerá com a capacidade de pessoas limitada a 30% da igreja ou templo; deverá haver entre uma pessoa e outra o espaçamento de uma poltrona para os lados esquerdo e direito, como também para frente e para trás; ao final das celebrações os organizadores deverão tomar as providências para que os fiéis mantenham o distanciamento de um metro e meio e não fiquem aglomerados.

Após sanção do governador do Estado, a legislação entrará em vigência a partir da publicação no Diário Oficial do Estado (DOE).

O Amazonas registrou mais 867 casos de Covid-19, nesta terça-feira (05/05), totalizando 8.109 casos confirmados do novo coronavírus no estado, segundo boletim epidemiológico divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). Também foram confirmados mais 65 óbitos pela doença, elevando para 649 o total de mortes.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: