Amazonas

Amazonas registra mais quatro casos do novo coronavírus

O titular da Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam), Rodrigo Tobias e a diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), Rosemary Pinto, confirmaram mais quatro caso do novo coronavírus (Covid-19) no Amazonas. O anúncio foi feito em coletiva à imprensa realizada via redes sociais na tarde desta sexta-feira (20).

Embora os quatro pacientes não tenham tido suas identidades ou dados pessoais revelados durante a entrevista, sabe-se que um deles é o desembargador Marco Antônio Pinto, do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM). Os casos novos são provenientes dos EUA e dois de São Paulo. Um deles está em análise e pode ser o primeiro caso de transmissão comunitária no Estado.

De 29 de fevereiro até esta sexta-feira (20), foram notificados 72 casos com suspeita de Convid-19 no Amazonas. Desses, 52 casos foram descartados e outros 13 estão em análise, sendo um de Coari, distante 360km de Manaus.

Respiradores

Uma das preocupações diante da pandemia diz respeito ao número de respiradores disponível na rede pública de saúde do Estado. Atualmente, a Susam conta com cerca de 482 respiradores, que segundo Rodrigo Tobias, atendem os casos de pacientes com síndrome respiratória no Estado. “No entanto, se o novo coronavírus for disseminado no Estado e surgirem muitos casos graves, ainda não sabemos o impacto que isso teria na nossa rede pública. Estamos avaliando as medidas a serem tomadas”, explicou.

Medicamento

Surgiram nos últimos dias a notícia de que um medicamento contra a malária chamado hidroxicloroquina estaria tendo boa resposta no tratamento de pacientes com Covid-19. Os estudos estão acontecendo na França e na China, mas segundo a diretora da FVS, Rosemary Pinto, é preciso ter cautela com a substância.

“Os estudos são promissores, mas ainda são apenas estudos. Nós trabalhamos com protocolos e orientações da Organização Mundial de Saúde, que até o momento não nos enviou nenhuma informação a respeito É muito importante que a população não faça a automedicação. Não sabemos quais os efeitos que essa substância terá nas pessoas”, alerta.

Síndromes Respiratórias

Conforme a 11ª edição do Boletim Epidemiológico da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Amazonas, foram notificados 329 casos de SRAG. Desses, 60 confirmados para vírus respiratórios com 62 vírus identificados (dois dos pacientes apresentaram mais de um vírus). Desse total, são 23 casos por Adenovírus, 15 casos de influenza B, 11 para Vírus Sincicial Respiratório (VRS), cinco para Metapneumovírus, quatro para Influenza A (H1N1), três para Parainfluenza 1 e um para outros vírus respiratórios.

O boletim aponta que, no total, foram registrados, desde novembro, 39 óbitos por SRAG. Desses, nove foram por vírus respiratórios e 30 por outras síndromes respiratórias não virais. Dos nove óbitos, todos são residentes de Manaus, três por Influenza B, quatro Adenovírus, um VRS e um Metapenumovírus.

Ainda em relação aos óbitos, 86% das vítimas apresentavam pelo menos um fator de risco respiratório, com 66% respectivamente em pacientes idosos, cardiovasculares ou com diabetes, 50% pneumopatas e 16% em crianças de 1 a 4 anos.

Rosemary Pinto afirmou que, em virtude da circulação dessas outras doenças, a população precisa redobrar a atenção. “Quadros de gripes são comuns e não significa estar contaminado necessariamente pelo novo coronavírus”, explicou.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: