Brasil

Ministério da saúde recua e confirma quarto caso de COVID-19

Em reunião em Brasília, especialistas classificaram o caso da adolescente de São Paulo como confirmado para coronavírus. São 531 suspeitos monitorados pela Saúde e outros 315 descartados por exame

O Ministério da Saúde confirma o quarto caso por COVID-19 em uma adolescente de 13 anos assintomática. Quatro elementos levaram a definição do caso como confirmado: resultado do exame de contraprova realizado pelo Instituto Adolf Lutz (IAL); local provável de infecção (Itália); possibilidade do uso de medicação para tratar uma lesão que pode ter mascarado os sintomas; e, ainda, a possibilidade de a paciente apresentar sintomas provocados pelo coronavírus nos próximos dias. A decisão foi tomada por um grupo de especialistas que estiveram reunidos nesta quinta-feira (5), em Brasília, a convite do Ministério da Saúde.

Agora, o Brasil registra quatro casos confirmados de coronavírus. Todos são de transmissão importada, de pessoas que estiveram em áreas endêmicas onde o vírus já circula. Outros 531 suspeitos são monitorados pelo Ministério da Saúde e 315 casos já foram descartados por exame laboratorial.

Com a confirmação da presença do vírus no organismo, a paciente pode desenvolver os sintomas nos próximos dias, que são febre associada a outros sintomas respiratórios como tosse e dificuldade para respirar. O período de incubação do coronavírus é, em média, de 14 dias. A jovem permanece em casa e é monitorada pela Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, bem como as pessoas que tiveram contato próximo.

Participaram da oficina de especialistas cerca de 40 instituições, como Fiocruz; institutos Butantan, Evandro Chagas e Adolfo Lutz; conselhos Federal de Medicina (CFM), Enfermagem (COFEN), Farmácia (CFF) e Odontologia (CFO); conselhos nacionais de secretarias municipais (CONASEMS) e estaduais de saúde (CONASS); Federação Brasileira de Hospitais; Hospitais Albert Einstein e das Clínicas/SP; Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS); secretarias de saúde de Belo Horizonte, São Paulo, Goiás, além de sociedades brasileiras de Infectologia (SBI), Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), de Patologia (SBPC), de Patologia Clínica (SBPC) e de Pneumologia e Tisiologia (SBPT).

Histórico

A adolescente retornou da Itália, no último domingo (1º), e passou por exame do Hospital Beneficência Portuguesa, no dia 3/3. A amostra coletada foi encaminhada ao Laboratório Fleury, com a contraprova realizada pelo Instituto Adolf Lutz (IAL) nesta quarta-feira (4).

O resultado do exame foi positivo para coronavírus e o caso não entrou na lista de confirmados, inicialmente, por ser considerado atípico, já que a jovem não apresentou os sintomas, que incluiria febre associado a mais um sintoma respiratório, de acordo com os critérios definidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). No entanto, após debate em conjunto com a Secretaria Estadual de São Paulo, o caso entra na lista de confirmados como coronavírus.

Mudança

Ainda manhã desta quinta, o Ministério da Saúde alegou critérios técnicos para afirmar que a jovem não cumpria a definição de caso, o que incluiria febre associado a mais um sintoma respiratório. “Portanto, esse não será somado aos casos confirmados do novo coronavírus”, disse a nota.

Foto: EBC

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: