Entretenimento

10º Festival Amazonas Jazz é destaque na agenda de março do Teatro Amazonas

Dueto mexicano, show do Zezinho Corrêa e apresentações dos Corpos Artísticos complementam a programação

O 10º Festival Amazonas Jazz (FAJ), que será realizado de 21 a 29 de março, é um dos destaques da agenda de espetáculos do Teatro Amazonas no próximo mês. A programação ainda inclui um concerto de dois irmãos mexicanos, o Lazkurain Duo, um show de Zezinho Corrêa cantando Elba Ramalho e apresentações do Balé Folclórico, Orquestra de Violões e Orquestra de Câmara do Amazonas.

Confira:

1º/3, às 19h

Neste domingo, o Teatro Amazonas recebe o “Show da Zelda”, um espetáculo com várias canções de composição autoral, que traz os principais personagens da fazendinha, inspirados nas histórias da coleção de livros da autora Andréa Lins, que homenageia seus bulldogs. O show de músicas infantis tem como objetivo agregar na educação musical diversos ritmos e linguagens de nossa cultura. Envolvidos com as músicas, os personagens Zelda, Dexter, Bob e Bacon contam histórias que fazem parte do universo dos pequenos.

A entrada para plateia e frisas custa R$ 50; para o 1º pavimento, R$ 40; 2º e 3º pavimentos; R$ 30. Os ingressos podem ser adquiridos no site Bilheteria Digital (bilheteriadigital.com/teatroamazonas) e também diretamente na bilheteria do Teatro Amazonas.

6/3, às 20h

Na próxima sexta-feira, o Teatro Amazonas terá uma sessão de cinema, com a programação “Cine Teatro Amazonas”. Serão exibidos os curtas-metragens: “O Príncipe da Encantaria”, “A Bola Pune”, “Benedito que Subia: Do Profano ao Divino” E “O Santo Casamenteiro”. A entrada é gratuita e a classificação livre.

7/3, às 20h

Um dos mais talentosos e respeitados artistas amazonenses, Zezinho Corrêa apresentará um show em homenagem a Elba Ramalho. No repertório, grandes sucessos como “Banho de Cheiro”, “Bate Coração”, “Ai que Saudade de Ocê”. O espetáculo contará com as participações especiais do Balé Folclórico do Amazonas, Bel Martine, Raylla Araújo e Lorenzo Fortes.

Os ingressos custam R$ 80 para plateia e frisas e R$ 60, para os pavimentos. A classificação é para 10 anos.

8/3, às 19h

A Amazonas Band sobe ao palco do Teatro Amazonas para o concerto “Welcome to Amazonas”, um programa com música brasileira e latin jazz para turistas em visita a Manaus. O repertório inclui obras de Bob Mintzer, Tom Jobim e Vinicius de Moraes, Luiz Bandeira, Daniel Barry, entre outros.

A entrada para plateia e frisas custa R$ 50 e os demais assentos são gratuitos. A classificação é livre.

10/3, às 20h

Uma das grandes revelações recentes do jazz brasileiro, Amaro Freitas estará pela primeira vez em Manaus com a turnê nacional de seu mais recente disco “Rasif”. Para realizar o cruzamento de elementos da cultura popular afro-brasileira com o jazz, formando uma única espiral sonora, Amaro Freitas é acompanhado de Jean Elton (baixo acústico) e Hugo Medeiros (bateria). O trio convida a desbravar novas rotas e experimentar a capacidade percussiva do piano, em complexos padrões matemáticos, ritmos imprevisíveis e hipnóticos.

Com patrocínio da Petrobras e Ministério da Cidadania, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e apoio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, o show tem entrada gratuita e classificação livre.

11/3, às 20h

A Orquestra de Violões do Amazonas (Ovam) volta ao palco do Teatro Amazonas para apresentar o concerto “Ovam Mix”, projeto que traz uma mistura de concertos temáticos realizados durante os 20 anos da orquestra, com músicas regionais, pop, espanholas e trilhas sonoras de filmes. O repertório inclui arranjos para violão dos temas de “Game of Thrones”, “Piratas do Caribe”, “The Walking Dead”, uma versão de “Bohemian Rhapsody”, do Queen, além de obras de Gonzaguinha, Sebastião Tapajós, entre outros.

O concerto tem entrada gratuita e classificação livre.

12/3, às 20h

A Orquestra de Câmara do Amazonas (OCA) apresenta o concerto “Oca à Inglesa”, com obras de Henry Purcell, Charles Hubert Hasting Parry e Benjamin Britten. A regência será do maestro Marcelo de Jesus. A entrada é gratuita e a classificação livre.

13/3, às 20h

No dia 13 de março, o Teatro Amazonas recebe os irmãos mexicanos Javier e Andrea García Lascurain, que formam o Lazkurain Duo. O repertório do concerto inclui música clássica, assim como arranjos musicais modernos e contemporâneos que o dueto adaptou no piano para quatro mãos e para dois pianos. A dupla constantemente procura interpretar trabalhos menos famosos ou autores pouco conhecidos, ampliando seu repertório.

O concerto terá obras de Moritz Moszkowski, Anton Rubinstein, Antonin Dvorak, Arturo Márquez e José Pablo Moncayo. A entrada é gratuita e a classificação livre.

14/03, às 20h

O Núcleo Criativo Circense Marcella Laurentine apresenta o espetáculo “Vida – A Extraordinária Jornada”, que conta a história de Éter, nascido apenas com instintos e sentimentos, passando várias transições de vida acompanhando por seus guardiões.

Os ingressos custam R$ 60 para plateia e frisas; R$ 50, para o 1º e 2º pavimentos; e R$ 40, para o 3º pavimentos. Os ingressos podem ser adquiridos no site da Bilheteria Digital e na bilheteria do Teatro Amazonas.

15/3, 11h e 20h

O Balé Folclórico do Amazonas reapresenta o espetáculo “Dança do Sol”, que é inspirado no trabalho do escritor e professor amazonense Mário Ypiranga Monteiro, sobre adoração ao sol pelo olhar dos índios Arara. A entrada é gratuita e a classificação livre.

Também no dia 15 de março, às 20h, será realizado o show de lançamento do CD “Batelão da Amazônia”, primeiro trabalho de Ellen Fernandes. No repertório do show estarão todas as canções compostas pela artista em parcerias e interpretações de outras músicas conhecidas do público amazonense. O show convida o público a refletir temas como a preservação da Amazônia numa viagem musical pelas riquezas da região.

Os ingressos custam R$ 50 para plateia e frisas; R$ 30, para o 1º e 2º pavimentos; e R$ 20, para o 3º pavimento. Ingressos na Bilheteria Digital e na bilheteria do Teatro Amazonas. A classificação é livre.

21/3,  às 20h

A partir do dia 21 até o dia 29 de março, o Teatro Amazonas será o palco do 10º Festival Amazonas Jazz (FAJ). A abertura do festival terá a obra “Ritos de Passagem”.

Composição do instrumentista norte-americano Ed Sarath, “Rites of Passage” foi apresentado no Brasil pela primeira vez em 2008, também no Amazonas Jazz. A obra retorna para homenagear os 10 anos do evento, com Sarath tocando flugelhorn (instrumento de sopro) ao lado do saxofonista paulista Marcelo Coelho e da Amazonas Band, sob regência do maestro e diretor artístico do festival, Rui Carvalho.

O primeiro dia do FAJ também contará com performances de Isabelle Sabrié, Corpo de Dança do Amazonas e Aaron Parks (EUA).  Os ingressos para o festival já podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro e no site Bilheteria Digital por valores que variam de R$ 20 a R$ 80.

22/3, 11h e 19h

Pela manhã do dia 22 de março, a programação do 10º FAJ apresenta um concerto com Gilson Peranzzetta e Mauro Senise. À noite, partir de 19h, também pelo FAJ, o palco do Teatro Amazonas recebe os shows de Karine Aguiar e Jungle Jazz, e de Keyon Harrold Quintet (EUA).

O trompetista Keyon Harrold já foi descrito como “o futuro do trompete. O seu CD, “The Mugician”, congrega elementos do jazz com hip hop, blues e até o legado da música clássica. Nascido no subúrbio de Ferguson em Saint Louis, Missouri, EUA, chegou a Nova Iorque com 18 anos para estudar na reputada instituição de ensino do jazz New School. Estabelecido na cidade, tornou-se ativo na cena tocando com nomes de primeira linha como Snoop Dog, Jay Z, Eminem, Beyoncé e Rihanna, para citar apenas alguns. As composições de Keyon Harrold, além de revelarem a sua sólida formação em jazz, conjugam-se com vertentes do funk, do afro beat e do R&B.

23/3, às 19h

No dia 23 será realizada a final do Concurso Jovem Instrumentista do FAJ, com os três melhores classificados de cada categoria (Solos e Duos; Trios, Quartetos, Quintetos e Sextetos. Neste dia, a entrada será gratuita.

24/3, às 20h

Os primeiros classificados nas finais do Concurso Jovem Instrumentista farão uma apresentação de apoteose dos vencedores no dia 24 de março, também no Teatro Amazonas. A programação FAJ ainda terá o show do saxofonista de jazz norueguês Frode Gjerstad.

Frode notabilizou-se pela incursão na corrente free jazz, tendo colaborado com nomes de primeira linha do jazz europeu como Paal Nilssen-Love, Borah Bergman, Peter Brötzmann, Evan Parker, Derek Bailey, Bjørn Kjellemyr, Terje Isungset, William Parker, Sabir Mateen, John Stevens, Johnny Dyani, Kent Carter. Participou de mais de 50 discos. Entre 1981 e 1994 tocou com o baterista britânico John Stevens, com quem gravou 14 CDs. Fundou e dirigiu a banda Circulasione Totale Orchestra, que se apresentou em vários festivais. Atua com regularidade na Escandinávia, no continente europeu, nos EUA e na América do Sul.

25/3, às 20h

A partir das 20h, o grupo paulista Trio Corrente se apresenta pela programação do FAJ. Formado em 2001 pela união do baterista Edu Ribeiro, do pianista Fabio Torres e do contrabaixista Paulo Paulelli, o Trio Corrente vem criando um som original, interpretando de forma única os clássicos do choro, da MPB e do seu crescente repertório autoral.

Em seguida, às 21h30, será a vez de Marcelo Coelho & McLAV.In, com participação especial de rapper Kamau e DJ Raffa Santoro. Marcelo acumula extensa carreira nas qualidades de instrumentista, compositor, educador e pesquisador. Como educador, atuou em várias  instituições nos EUA. No Brasil, leciona na Faculdade Souza Lima, em São Paulo. Como saxofonista, Marcelo já atuou ao lado David Liebman, Bob Mintzer, Didier Lockwood, Phil Markowitz, Gene Perla, Ed Sarath, Ronan Guilfoyle, Ron Miller, Phil DeGreg, Cliff Korman, Hermeto Pascoal, Guinga, Caetano Veloso, Sizão Machado, Sérgio Barroso, Naylor Proveta e Célio Barros entre outros.

26/3, às 20h

Amilton Godoy Trio & Gabriel Grossi (Brasil) se apresentam às 20h, no Teatro Amazonas. Pianista respeitado internacionalmente, Amilton Godoy integrou por décadas o lendário Zimbo Trio, um grupo que fez escola na música instrumental do Brasil. Ao seu enorme talento juntam-se agora os jovens Edu Ribeiro e Paulo Paulelli que, em companhia do gaitista, Gabriel Grossi, apresentarão um repertório eclético que aborda, entre outras estéticas, a música de Villa–Lobos numa leitura muito peculiar.

Já às 21h30, o FAJ apresenta o Jeff “Tain” Watts Quartet (EUA). Jeff foi por duas vezes votado pelo público da revista Down Beat como o melhor baterista em atividade. Formado em Percussão Sinfônica, dedicou-se depois à bateria, instrumento no qual se notabilizou como um virtuoso, tendo se apresentado com Wynton Marsalis, Branford Marsalis, Betty Carter, Michael Brecker, Alice Coltrane, Ravi Coltrane entre muitos outros artistas da nata do jazz. Pelos vários CDs gravados com os irmãos Marsalis, foi premiado com o Grammy em seis oportunidades. Ativo na composição musical, Jeff é um bolsista da Fundação Guggenheim desde 2017.

27/3, às 20h

O Bruno Mangueira Quarteto abre a programação do FAJ no dia 27 de março. Bruno atua como guitarrista, compositor e arranjador, e já gravou e tocou com Zizi Possi, Leila Pinheiro, Toninho Horta, Nelson Ayres, Gilson Peranzzetta, Paulo Jobim, Alaíde Costa, Jamelão, Filó Machado, Vinícius Dorin, Sizão Machado, Helio Alves, entre muitos outros. Em 2018 gravou dois CDs nos EUA com os pianistas Phill de Gregg e com Otamar Ruiz.

Às 21h30, John Fedchock NY Sextet (EUA) sobe ao palco do Teatro. Além de virtuoso do trombone, John Fedchock é considerado um dos grandes arranjadores da história do jazz, tendo alcançado notoriedade como responsável pelos arranjos da lendária big band de Woody Herman. Fedchcock também trabalhou com alguns dos mais notáveis músicos da história do jazz, entre os quais se incluem nomes como T.S. Monk, Gerry Mulligan Concert Jazz Band, Louie Bellson Big Band, Bob Belden Ensemble, Manhattan Jazz Orchestra, Jon Faddis Jazz Orchestra e a Carnegie Hall Jazz Band.

28/3, às 20h

Daniel d’Alcântara Quinteto (Brasil) se apresenta no FAJ no dia 28 de março. Daniel iniciou seus estudos musicais com seu pai, o trompetista Magno d’Alcântara. Formado em trompete pela USP, iniciou sua carreira em 1992 na Orquestra Experimental de Repertório, em São Paulo. Tocou com grandes nomes como João Donato, Roberto Menescal, Ivan Lins, Leny Andrade, Joyce, Claudete Soares, Filó Machado, Rosa Passos e Milton Nascimento. Em 2003 integrou o noneto de Lee Konitz. Como solista convidado da Orquestra Jazz Sinfônica, participou de duas estreias mundiais, “Thaddeus”, de Alexandre Mihanovich, e “Brasilianas No.4”, de Cyro Pereira, sob a regência do próprio compositor.

Às 21h30, o Edsel Gomez Triumvirate (EUA) comanda o show. Nascido em Porto Rico, Edsel morou por mais de uma década no Brasil. Antes, havia residido em Boston, EUA, onde estudou na Berklee School of Music. De volta a Nova Iorque, após a sua longa temporada no Brasil, foi nomeado para o Grammy pelos trabalhos realizados com a cantora de jazz Dee Dee Bridgewater. Triumvirate é um grupo de latin jazz e o seu baterista Robby Ameen é autor de um clássico do estudo da rítmica afro-cubana aplicada à bateria: Funkyfiing The Clave.

29/3, às 19h

No encerramento do FAJ, a primeira atração será Randy Brecker (EUA) com a Amazonas Band, contando com participação especial de Rodrigo Ursaia. Randy Brecker é um dos mais influentes músico de jazz dos últimos 40 anos. Além de ter gravado com lendas como James Taylor, Bruce Springsteen, Frank Sinatra, Steely Dan, Jaco Pastorius e Frank Zappa, também integrou bandas fundamentais para o jazz moderno, como a Clark Terry’s Big Bad Band, a Duke Pearson Big Band, a Thad Jones Mel Lewis Jazz Orchestra, bem como a Bob Mintzer Big band. Em 1997, Randy foi premiado com o Grammy pelo seu trabalho “Impressions of Brazil”.

Às 20h, A Amazonas Band volta ao palco com Leila Pinheiro, para o último concerto da noite. Estrela do primeiro time da música popular brasileira, Leila Pinheiro é intérprete, compositora e pianista. Excursionou com o Zimbo Trio em shows pelo exterior em 1984, mas o sucesso veio em 1985, quando ganhou o prêmio de cantora-revelação no Festival dos Festivais, da TV Globo, onde defendeu o samba “Verde”, de Eduardo Gudin e José Carlos Costa Neto, seu primeiro sucesso radiofônico. Nomes como Tom Jobim, Chico Buarque, do violonista Toninho Horta, do guitarrista americano Pat Metheny e dos também pianistas e compositores Francis Hime, Ivan Lins e João Donato, participaram de seus trabalhos.

Com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa. Foto: Michael Dantas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: