Sem categoria

Série D: Fast joga tudo pelo acesso

Este domingo (10) pode ser histórico para o Fast Clube. Jogando às 16h (horário de Brasília), no estádio Jorge Ismael de Biasi, em Novo Horizonte (SP), o Rolo Compressor terá a chance de chegar à Série C do Campeonato Brasileiro este ano se reverter a vantagem do Novo Horizontino, que venceu o primeiro jogo em Manaus por 1 a 0. O jogo terá transmissão ao vivo da TV Brasil.

O time paulista tem a vantagem do empate. Há uma semana, venceu o jogo de ida na Arena da Amazônia por 1 a 0, gol do atacante Guilherme Queiroz. Para se classificar, o Tricolor precisa ganhar por ao menos dois gols de diferença. Se vencer por um gol de saldo, a decisão será nos pênaltis. Foi justamente em disputas na marca da cal que a equipe amazonense passou por Moto Club-MA e Globo-RN, nas fases anteriores do mata-mata. Ambas, porém, ocorreram em Manaus. Desta vez, o duelo decisivo será no interior de São Paulo.

Dono da melhor campanha da Série D com 12 vitórias, cinco empates, duas derrotas e 41 pontos somados, o Novorizontino terá força máxima. O volante Léo Baiano cumpriu suspensão em Manaus e deve retornar à equipe titular. O técnico Roberto Fonseca deve escalar o Tigre com Giovanni; Willean Lepo, Édson Silva, Bruno Aguiar e Paulinho; Léo Baiano, João Pedro, Danielzinho e Pereira; Guilherme Queiróz e Cléo Silva.

No Fast, são várias ausências. O zagueiro Bernardo Benjamin e o atacante Tiago Pará, titulares no duelo passado, testaram positivo para o novo coronavírus, assim como o goleiro reserva Luís Carlos. O volante Pelezinho e o atacante Daivison se recuperam de lesão. Já o meia Marco Goiano foi liberado para acompanhar o nascimento do filho. O cenário era ainda mais complexo na semana passada, com oito jogadores infectados pela covid-19 e o técnico Lecheva de licença após a filha nascer sem vida, em razão de parto prematuro.

O clube amazonense não divulgou quais atletas contraíram o coronavírus na última semana, mas jogadores que vinham sendo titulares e que não atuaram em Manaus, como o lateral Bernardo, o zagueiro Thiago Spice, o volante Márcio Passos, o meia Janeudo e o atacante Ronan voltaram à lista de relacionados. Com isso, Lecheva deve mandar a campo o time com Alencar; Bernardo, Alison, Thiago Spice e Ítalo; Dênis Pedra, Márcio Passos, Janeudo e Dija Baiano; Ronan e Mateus Oliveira.

O acesso, se vier, será inédito para os dois times. Apesar da semelhança em nome, cores (amarela e preta), escudo e mascote, o Novorizontino não é o Grêmio Esportivo Novorizontino, campeão da Série C em 1994 e vice do Campeonato Paulista em 1990. Este último teve a falência decretada em 1999. A cidade de Novo Horizonte só voltou a ter um clube de futebol profissional em 2010, com a fundação do atual Grêmio Novorizontino, que disputa a Série D pela terceira vez.

No caso do Fast, o clube disputou três vezes a primeira divisão brasileira, a última delas em 1979. Também esteve na Série B em duas ocasiões (1980 e 1982) e na C em outras quatro, entre 1995 e 2008. Tal qual o Novorizontino, o Rolo Compressor também está na terceira participação na Série D, que só entrou para o calendário em 2009.

Com informações da Agência Brasil. Foto: site oficial do Grêmio Novorizontino

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: