Amazonas Em Destaque

Senador Omar Aziz será o presidente da CPI da Pandemia

O senador do Amazonas Omar Aziz (PSD-AM) será o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar as ações do governo federal e o uso de verbas federais transferidas a estados e municípios durante a pandemia da Covid-19. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), autor do requerimento de instalação da CPI, será o vice-presidente. Ao senador Renan Calheiros (MDB-AL), que era o mais cotado para ficar com o comando na comissão, caberá a relatoria do colegiado. A informação foi confirmada por Randolfe Rodrigues nesta sexta-feira (16).

Renan teve que abrir mão da presidência da CPI depois que passou a ser considerado “impedido” por colegas por ser pai do governador de Alagoas, Renan Filho. Enquanto o presidente da CPI é o responsável por conduzir os trabalhos de investigação e por determinar as fases que o colegiado vai seguir e o ritmo dos trabalhos, o relator prepara o parecer final, após os trabalhos. É ele, por exemplo, o responsável por sugerir indiciamentos ou não.

Composição

Composta por 11 titulares e sete suplentes, que já foram indicados por líderes partidários, a partir de agora a comissão já pode ser instalada. Na primeira reunião, serão eleitos o presidente, o vice-presidente e o relator da CPI.

Como membro mais idoso entre os titulares da comissão, o senador Otto Alencar vai comandar a instalação da CPI e a formalização da eleição do trio que vai comandar o grupo.  Por decisão do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), essa reunião terá que ser presencial. A data da ainda não foi definida, mas Randolfe Rodrigues diz que há disposição para seja na próxima quinta (22).

Investigado

O senador é investigado por suposto desvio de recursos públicos da saúde enquanto era governador do Amazonas. Em 2016, Aziz foi alvo da operação “Maus Caminhos”, do Ministério Público Federal, cujo objetivo era apurar o desvio de cerca de R$ 260 milhões da saúde do estado por meio de contratos firmado com o governo do estado do Amazonas. O nome do caso é uma referência ao nome da entidade Instituto Novos Caminhos (INC), utilizada pelo grupo criminoso para viabilizar a maior parte dos desvios e fraudes envolvendo recursos da pasta de saúde no Estado do Amazonas.

A Operação Maus Caminhos é a investigação de corrupção com maior volume de recursos públicos, agentes públicos da alta cúpula envolvidos e número de fases de desdobramentos já conduzida pelos órgãos de fiscalização e controle no Amazonas. O valor preciso dos desvios praticados pela organização criminosa ainda não foi definido, devido ao fato de que há frentes da investigação ainda em aberto, mas estima-se que ultrapasse a casa dos R$ 100 milhões.

Com informações da Agência Brasil. Foto: Agência Senado

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: