Em Destaque

Moro recebeu R$ 3,537 milhões para atuar em consultoria nos EUA

O ex-juiz e candidato a presidência da República pelo Podemos, Sergio Moro teria recebido US$ 656 mil – ou R$ 3,537 milhões pela atual cotação do real – durante os 12 meses em que atuou na consultoria estadunidense Alvarez & Marsal. As informações são da coluna do jornalista Lauro Jardim, de O Globo.

A notícia cai como uma bomba nas pretenções do ex-juiz em concorrer à presidência. Moro, que prometeu divulgar seus honorários em uma live no canal do deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) ainda nesta sexta, vai mal nas pesquisas ocupando apenas o terceiro lugar ao lado do ex-governador do Ceará, Ciro Gomes.

A empresa também prometeu apresentar os valores ao Tribunal de Contas da União. O candidato prestou serviços à empresa entre 23 de novembro de 2020 e 26 de novembro de 2021. O contrato entre Moro e a Alvarez & Marsal previa duas cláusulas definidas em termos de remuneração: o ex-juiz tinha um salário mensal e, também, ganhou um bônus de assinatura, ou seja, um valor que recebeu quando entrou na empresa. No vínculo, inicialmente de dois anos, não havia projeção de remuneração variável. O rompimento, de comum acordo, foi feito sem o pagamento de multa.

A grande polêmica desse contrato está no fato de que a consultoria que empregou Moro recebeu R$ 40 milhões de empresas alvos da operação “Lava Jato”. A empresa informou ao TCU que 75% de todos os honorários que recebe no Brasil são provenientes de empresas investigadas pela operação, que teve no então juiz Sérgio Moro sua figura mais famosa, ao lado dos procuradores da República do Paraná.

A pedido do subprocurador Lucas Rocha Furtado, o TCU abriu procedimento para investigar a ida de Moro para a Alvarez & Marsal. O conflito ético fica cada vez evidente, mas o TCU investiga também se houve proveito econômico, o que fica mais plausível com a reportagem de O Globo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: