Em Destaque

Comissão especial rejeita o voto impresso obrigatório, mas disputa ainda não acabou

A comissão especial da Câmara dos Deputados derrubou na noite desta quinta-feira (05/08/21) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19, que torna obrigatório o voto impresso por 23 votos a 11. A disputa, no entanto, ainda não acabou.

Por indicação do presidente da comissão especial, deputado Paulo Eduardo Martins (PSC-PR), o parecer vencedor será elaborado pelo deputado Júnior Mano (PL-CE) e deverá ser apreciado em nova reunião do colegiado nesta sexta-feira (6), às 18 horas.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que a proposta de voto impresso pode ser avocada pelo Plenário se a comissão especial ultrapassar as 40 sessões da Câmara sem conseguir aprovar o relatório, ou mesmo se ele for rejeitado. “As comissões especiais não são terminativas, são opinativas, então sugerem o texto, mas qualquer recurso ao Plenário pode ser feito”, explicou.

Peritos negam fraude

Em outra notícia relacionada ao tema, a Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), que integram a Polícia Federal, lançaram nota explicando que a identificação de falhas e vulnerabilidades não permite afirmar que houve, há ou haverá fraudes nas eleições.

“Os achados dos testes, ao contrário de comprovar fraudes, têm o propósito de apontar ajustes e aperfeiçoamentos necessários para a continuidade do curso normal das eleições, além de tecer recomendações científicas para a evolução e aprimoramento do sistema eleitoral brasileiro”, disse a nota, que você pode conferir na íntegra aqui.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: