Eleições 2022

Genial/Quaest: Auxílio Brasil não altera diferença entre Lula e Bolsonaro

A 15ª rodada da pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira (17/08/2022) mostra que o pagamento da primeira parcela do Auxílio Brasil, no último dia 9, não teve impacto relevante na intenção de voto no presidente, nem na avaliação de seu governo. Se a eleição fosse hoje, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria 45% dos votos no primeiro turno, contra 33% do presidente Jair Bolsonaro, mantendo a diferença de 12 pontos percentuais registrada na pesquisa anterior.

Ciro Gomes, do PDT, teria 6% dos votos e Simone Tebet, do MDB, 3%. Os demais candidatos não pontuaram, enquanto 6% votariam em branco, nulo ou não compareceriam às urnas. Outros 6% continuam indecisos. No segundo turno, Lula venceria com 51% dos votos, contra 38% de Bolsonaro. Pela primeira vez, o intervalo entre as duas sondagens, ambas feitas de forma presencial, foi de duas semanas.

A pesquisa quis saber se o pequeno impacto do Auxílio Brasil e da redução do preço dos combustíveis nas intenções de voto pode ser atribuído a um desconhecimento sobre a autoria das medidas, e constatou que não: 58% dos eleitores sabem que o autor é Bolsonaro. Em contrapartida, 62% consideram que os ajustes no benefício e no Vale-Gás têm como objetivo principal ajudar a eleição de Bolsonaro, enquanto 33% acreditam que são medidas destinadas a ajudar as pessoas.

O maior crescimento das intenções de voto em Bolsonaro ocorreu entre os evangélicos. Nesse grupo, o presidente subiu 17 pontos percentuais desde março e teria hoje 52% dos votos, contra 28% de Lula. Entre os católicos, a vantagem é de Lula, com 52%, contra 27% de Bolsonaro. O ex-presidente mantém seu melhor desempenho entre os que ganham até dois salários mínimos, faixa em que tem o apoio de 55% dos eleitores, enquanto Bolsonaro tem 27%.

O presidente leva vantagem entre os eleitores com renda superior a cinco salários mínimos, com 41% das intenções de voto contra 33% de Lula. Por região, Lula mantém vantagem folgada no Nordeste (61% a 21% de Bolsonaro). O presidente lidera na região Sul, com 46%. Nas demais regiões os dois candidatos estão empatados. Hoje, 65% dos eleitores dizem que seu voto é definitivo, contra 33% que admitem a possibilidade de mudança.

A pesquisa Genial/Quaest, registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número 01167/2022, ouviu 2.000 pessoas com mais de 16 anos entre os dias 11 e 14 de agosto, em entrevistas nas casas dos eleitores em 27 estados. O nível de confiança da pesquisa é de 95%, com margem de erro máxima de 2%, para cima ou para baixo, em relação ao total da amostra.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: