Covid-19

Amazonas distribui vacinas contra a Covid-19 em crianças

O Governo do Estado iniciou, nesta sexta-feira (11/11/2022), a distribuição de vacinas contra a Covid-19 para crianças de 6 meses a 2 anos com comorbidade. Um lote com 28 mil doses do imunizante chegou à capital na quinta-feira (10/11/2022) e foi encaminhado para a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP). Os imunizantes são do tipo Pfizer-BionNTech e foram enviados pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde, específicos para a faixa etária de 6 meses a 2 anos de idade (2 anos, 11 meses e 29 dias).

“Esta faixa etária ainda não estava com cobertura, com autorização para vacinação, então a empresa Pfizer desenvolveu essa vacina para esse público entre 6 meses e 2 anos de idade. Existem comissões de cientistas que aprovam ou não determinado imunizante. Esse imunizante foi aprovado nos Estados Unidos, aprovado no Brasil, por cientistas, comissões especializadas, e a aprovação está coberta de segurança”, explicou o secretário de Estado de Saúde, Anoar Samad.

De acordo com o órgão, o esquema primário será composto de três doses: duas doses iniciais (D1 e D2), que devem ser administradas com quatro semanas de intervalo; seguidas por uma terceira dose (D3), oito semanas após a aplicação da segunda dose.

O uso da vacina para esta faixa etária foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em setembro. No Amazonas, crianças acima de 3 anos de idade já têm indicação para iniciar o esquema vacinal contra a Covid-19 com o imunizante CoronaVac.

Orientações

Conforme a fundação, as secretarias municipais de saúde receberam as orientações para aplicação das vacinas a partir de nota técnica, emitida na quinta-feira (10/11/2022), pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), em conjunto com a FVS-RCP.

Conforme a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa-Manaus) já realizou a retirada do lote nesta sexta-feira, e após o feriado deverá disponibilizar o imunizante nos pontos de vacinação da capital. O procedimento será o mesmo para outros municípios.

“Na nota técnica que está no site da FVS há o quantitativo correspondente para cada município. É só agendar e vir retirar. Para alguns municípios, o Governo do Estado, por meio da Casa Militar, também apoia quando são muitos distantes, onde é difícil o envio”, explicou a diretora-presidente do órgão.

Para comprovação das comorbidades no momento da vacinação, poderá ser utilizado o cadastro do Sistema Único de Saúde (SUS), atestando que é feito o acompanhamento da referida condição de saúde, a exemplo dos programas de acompanhamento de diabéticos.

Aqueles que não estiverem cadastrados na Atenção Básica, a comprovação também poderá ser feita com laudos, declarações, prescrições médicas ou relatórios médicos com descritivos ou CID da doença ou condição de saúde, CPF ou CNS do usuário, assinado e carimbado, em versão original.

Comorbidades

As vacinas são destinadas para crianças de seis meses a 2 anos com as seguintes comorbidades: diabetes mellitus, pneumopatias  crônicas, hipertensão arterial resistente, hipertensão arterial estágio 3, hipertensão arterial 1 e 2 com lesão em órgão-alvo, insuficiência cardíaca,  cor-pulmonale e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva,  síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias, pericardiopatias, doença da aorta, doença dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, arritmias cardíacas,  cardiopatias congênitas, portadores de próteses valvares e dispositivos, arritmias cardíacas, cardiopatias congênitas, portadores de próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados, doenças neurológicas crônicas, doença renal crônica, imundo comprometidos, hemoglobinopatias, obesidade mórbida, Síndrome de Down, cirrose hepática.

Com informações da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: