Cotidiano Covid-19

Coronavírus muito parecidos com o SARS-COV-2 estão mais perto do que pensamos

Cientistas descobriram três vírus em morcegos no Laos perigosamente semelhantes ao SARS-CoV-2. A descoberta reforça a tese de origem natural do causador da Covid-19 e uma preocupação: há outros iguais ou até piores mais próximos do que pensávamos

Em estudo publicado na revista científica Nature, cientistas descobriram três vírus em morcegos em Laos que são perigosamente mais semelhantes ao SARS-CoV-2 do que qualquer outro vírus conhecido. A descoberta reforça a tese de origem natural do causador da Covid-19, mas também traz uma preocupação: há outros iguais ou até piores que ele muito mais perto do que pensávamos.

O que mais preocupou os autores do estudo é o fato de que esses novos vírus contêm domínios de ligação ao receptor que são quase idênticos aos do SARS-CoV-2 e, portanto, podem infectar células humanas. Assim como o SARS-CoV-2, eles conseguem se ligar a um receptor chamado ACE2 na superfície das células humanas e assim entrar nelas. David Robertson, um virologista da Universidade de Glasgow, no Reino Unido, chama a descoberta de “fascinante e bastante aterrorizante”.

Liderados pelo virologista Marc Eloit, do Instituto Pasteur em Paris, cientistas coletaram amostras de saliva, fezes e urina de 645 morcegos em cavernas no norte do Laos. Em três espécies de morcegos tipo ferradura (Rhinolophus), eles encontraram vírus que são mais de 95% idênticos ao SARS-CoV-2, que eles chamaram de BANAL-52, BANAL-103 e BANAL-236.

Origem natural

“Quando o SARS-CoV-2 foi sequenciado pela primeira vez, o domínio de ligação ao receptor não se parecia com nada que tínhamos visto antes”, diz Edward Holmes, virologista da Universidade de Sydney, na Austrália. Isso fez com que algumas pessoas especulassem que o vírus havia sido criado em um laboratório, fato que alimentou dezenas de teorias da conspiração pelo mundo. No entanto, esses coronavírus do Laos confirmam que essas partes do SARS-CoV-2 existem na natureza, o que praticamente sepulta essa teoria.

“Estou mais convencido do que nunca de que o SARS-CoV-2 tem uma origem natural”, concorda Linfa Wang, virologista da Duke – NUS Medical School, em Cingapura. Junto com parentes do SARS-CoV-2 descobertos na Tailândia, Camboja e no sul da China, o estudo demonstra que o sudeste da Ásia é um “ponto de acesso de diversidade para vírus relacionados ao SARS-CoV-2.

Perguntas ainda sem resposta

O estudo do Laos oferece uma visão sobre as origens da pandemia, mas ainda faltam peças nesse quebra-cabelas, dizem os pesquisadores. Por exemplo, nos vírus do Laos não foram achados mecanismos presentes no SARS-CoV-2 e de outros coronavírus que os permite entrar com mais facilidade nas células humanas.

O estudo também não esclarece como o vírus causador da atual pandemia pode ter viajado para Wuhan, na China central, onde os primeiros casos conhecidos de Covidd-19 foram identificados. Há também a possibilidade dele ter pego carona em algum animal intermediário.

As respostas podem vir da amostragem de mais morcegos e outros animais selvagens no sudeste da Ásia, o que muitos grupos estão fazendo. O resultados do estudo que foram base para a matéria ainda não foram revisados ​​por pares.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: