Contexto

Pesquisa Genial/Quaest: Bolsonaro em pior momento e Lula se consolida na liderança

A pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira (10/11/21) revela o pior momento do governo Bolsonaro. Em um mês, a reprovação ao governo subiu de 53% para 56%, enquanto a aprovação oscilou de 20% para 19%. Ao todo, 69% dos entrevistados acham que Bolsonaro não merece ser reeleito. Em contrapartida, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva aparece liderando em todos os cenários para 2022.

A pesquisa mostra Bolsonaro está perdendo popularidade até entre quem votou nele em 2018. Até agosto, 52% de seus eleitores em 2018 avaliavam seu governo como positivo, contra 15% que consideravam negativo. Agora, esses índices são 39% e 28%, respectivamente.

A avaliação negativa de Bolsonaro disparou principalmente no Norte do país, saltando de 37% em setembro para 59% em novembro. Com isso, a região fica em segundo lugar na pior avaliação do presidente, perdendo apenas para o Nordeste do país.

O motivo para este mau humor dos brasileiros com o governo é o bolso: 73% acham que no último ano a economia piorou, 66% consideram que a diferença entre ricos e pobres aumentou, 48% afirmam que a economia é o maior problema do país. A pesquisa Genial/Quaest foi feita presencialmente entre os dias 3 e 6 de novembro com 2.063 entrevistas em 123 municípios.

Apesar disso, as recentes imagens chocantes de casos de fome e miséria no país também afetaram seriamente a opinião pública. O percentual de pessoas que se preocupa com esses problemas dobrou em dois meses, passando de 5% para 10%. Se em julho deste ano 41% dos entrevistados viam na pandemia o principal problema do país, hoje é o desemprego a maior preocupação, com 23%.

Eleição 2022

A pesquisa Genial/Quaest apresentou dois cenários eleitorais, um com o governador João Doria (SP) como candidato do PSDB , e outro com o governador Eduardo Leite (RS). Em ambas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria mais de 50% dos votos válidos já no primeiro turno.

No cenário um, Lula teria 48% dos votos; Bolsonaro, 21%; Moro, 8%; Ciro Gomes, 6%; Dória, 2%; e Rodrigo Pacheco (Democratas), 1%. O número de brancos e nulos é de 10% e o de indecisos, 4%. No cenário 2, Lula teria 47% dos votos; Bolsonaro, 21%; Moro, 8%; Ciro Gomes, 7%; Leite, 1%; e Pacheco, 1%. O número de brancos e nulos e de eleitores indecisos é igual.

Moro aparece como o melhor nome da terceira via, diminuindo o potencial de voto de Bolsonaro. Com Moro na disputa, a pesquisa captura uma intenção de voto nos candidatos do PSDB em patamares abaixo de 2%. Nas simulações de segundo turno, Lula teria 57% dos votos contra 27% do adversário. Contra Moro, Lula mantém 57, e o ex-juiz fica com 22%. E na disputa com Ciro, são 53% para Lula e 20% para o candidato do PDT. O Vocativo falou exatamente sobre esse efeito de Moro sobre Bolsonaro no último dia 02 de novembro.

Metodologia

A pesquisa começou em julho deste ano e se estenderá até novembro de 2022. No total, serão 24 rodadas de pesquisa nacional, cada uma delas implicando em cerca de duas mil coletas domiciliares face a face, realizadas nas 27 unidades da federação, abrangendo 123 municípios, a partir das entrevistas domiciliares, é feita a decupagem e análise dos dados por sexo, idade, escolaridade, renda e População Economicamente Ativa (PEA).

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: