Amazonas Covid-19

Vacinação contra a Covid-19 entre jovens em Manaus segue lenta

Quase um mês após o início da vacinação de jovens contra a Covid-19, adesão dessas faixas etárias ainda é lenta, o que representa risco com a iminente chegada da variante Delta ao Amazonas

No último dia 21 de julho, a Prefeitura de Manaus começou a vacinar o público de 18 anos contra a Covid-19. No entanto, dez dias depois, a adesão dessa faixa etária ainda é extremamente baixa, o que pode atrapalhar todo o processo de imunização coletiva da capital.

Segundo dados da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), até este domingo (01/08/21), dos 155.279 jovens entre 18-19 anos em Manaus, apenas 51.125 tomaram a primeira dose da vacina, o que corresponde a 32% do público estimado. Nas faixas etárias mais próximas, a situação não é muito diferente.

A população de 20 a 25 anos começou a ser vacinada em Manaus no último dia 08 de julho, mas em quase um mês desde o início, menos da metade do público-alvo, 405.227, o que corresponde a 46%, recebeu a primeira dose da vacina.

O dado é preocupante porque a maior parte das vacinas utilizadas em Manaus, da AstraZeneca e da Pfizer, são administradas com intervalo de doses de até 12 semanas. Isso significa que, para que essas faixas etárias consigam atingir a cobertura vacinal completa ainda levará muito tempo.

Vale lembrar que estudos recentes mostram que uma única dose da vacina Pfizer ou da AstraZeneca são pouco ou ineficazes contra as variantes Beta e Delta. Apenas 10% dos indivíduos que receberam somente uma injeção foram capazes de neutralizar a variante indiana após uma dose. Embora nenhuma das duas ainda tenha sido detectada no Amazonas, com a circulação comunitária da Delta em várias partes do país, é apenas uma questão de tempo até ela chegar na região. Se já não estiver aqui.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: