Amazonas

Unidades escolares do Amazonas estão sendo palco para aglomerações

Unidades escolares do Amazonas estão sendo palco para grandes aglomerações entre jovens. Em vídeo, centenas de alunos do Centro de Educação Áurea Braga aparecem aglomerados, dançando e sem máscara, sem qualquer supervisão

Após o retorno das aulas presenciais, unidades escolares no interior do Amazonas estão sendo palco para grandes aglomerações entre jovens. Em vídeo enviado pela assessoria de imprensa do deputado estadual Dermilson Chagas (Podemos) é possível notar quadras lotadas de alunos sem máscaras, dançando e cantando sem qualquer fiscalização da direção das escolas.

O deputado afirma ter recebido novas denúncias de pais de alunos e de professores de que não há nenhum tipo de controle dentro das unidades escolares que possa, de fato, manter o que é preconizado pelos órgãos de saúde mundiais, como a Organização Mundial de Saúde (OMS), e pela própria Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM) e Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

Vídeos e fotografias tiradas no último dia 10 (sexta-feira), comprovam que as unidades escolares estaduais, dentre elas o Centro de Educação em Tempo Integral (Ceti) Áurea Braga, localizado na Avenida Brasil, s/nº, na divisa dos bairros Compensa e Santo Agostinho, zona Centro-Oeste de Manaus, promovem aglomerações e não cumprem os protocolos exigidos, como o uso de álcool em gel, distanciamento social e o uso de máscaras, entre outros. A autenticidade das imagens foi confirmada pela assessoria da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) junto ao Vocativo.

Casos de Covid-19

A falta de cumprimento dos protocolos de saúde já tem se refletido em casos nas escolas. Pais de alunos e docentes da Escola Estadual Raimundo Gomes Nogueira, localizada no conjunto Ajuricaba, na zona Centro-Oeste de Manaus, e que atua nos períodos matutino e vespertino com séries de 6º ao 9º ano ensino fundamental II e ensino médio, afirmam que ela foi interditada no último dia 9 após registro de casos de Covid-19.

“Chegou ao meu conhecimento que uma aluna do 6º ano do ensino fundamental apresentou sintomas da doença quando estava na escola e foi encaminhada para a realização do teste rápido e o resultado deu positivo. Por essa razão, a Anvisa acionou uma equipe para fazer a coleta e testagem em massa na escola, tanto em alunos e professores quanto funcionários administrativos. Em seguida, a escola foi fechada, sendo que o retorno das aulas só será realizado após sair o resultado da testagem dos corpos docente e discente e dos administrativos”, informou Dermilson.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: