Amazonas

Temporal em Manaus e o prenúncio de mais uma cheia severa no Amazonas em 2022

Com exceção do Rio Madeira, todas as calhas do Amazonas têm registrado índices superiores à marca histórica. Caso os números continuem altos, a previsão é que, no ano de 2022, todos os municípios do estado sejam atingidos pela cheia dos rios. Enquanto isso, Manaus registrou uma tempestade que causou prejuízos em diversos pontos da cidade nesta segunda-feira (27/12/21).

Segundo a Defesa Civil do Amazonas, os dados de monitoramento hidroclimatológicos apontam risco de enchente dos rios acima da normalidade, no ano que vem. Os altos níveis dos rios do Amazonas são resultado do fenômeno La Niña, um resfriamento no Oceano Pacífico que altera a circulação e potencializa as chuvas na Região Amazônica.

“Ultimamente, os eventos extremos têm sido cada vez mais expressivos, tanto as cheias históricas quanto as secas. A exemplo disso, nós tivemos essa cheia de 2021, e o condicionante para que ela acontecesse é idêntico ao de agora”, pontuou Patrícia Guimarães, meteorologista da Defesa Civil.

Além do La Niña, a especialista também ressalta o aquecimento do Atlântico Sul tropical como responsável pelas chuvas na região. “Ele funciona como uma esteira transportando umidade para a Amazônia, ou seja, mais chuva ainda. Esse é o cenário que a gente se encontra e que vai perdurar até fevereiro”, acrescentou a meteorologista.

Índices já assustam

Na calha do Rio Negro, onde a maior cheia já resgistrada foi neste ano, o nível está 2,88 metros acima do que estava no mesmo período do ano passado. Em 24 de dezembro de 2020, o rio estava com 20,29 metros de profundidade. No mesmo dia deste mês, chegou a 23,27 metros. Os indicadores têm como referência o município de Manaus.

Além do Rio Negro, o monitoramento do nível dos rios das calhas nas estações dos municípios de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro e Barcelos aponta níveis atípicos, acima do esperado para a época. Se as previsões se confirmarem, os primeiros municípios serão atingidos entre a segunda quinzena de janeiro e a primeira metade de fevereiro.

Temporal em Manaus

Os ventos fortes e a chuva que caiu em Manaus na manhã desta segunda-feira prejudicou diversos pontos da capital. A Defesa Civil do Estado do Amazonas (Subcomadec) informa que 13 municípios sofreram com a intensa chuva, que iniciou por volta das 8h.

Em Manaus, houve destelhamentos, quedas de árvores (em residências, em vias públicas, em veículos) e curto elétrico envolvendo fios de alta tensão. Nenhuma das ocorrências tem registro de vítimas. Os bairros mais atingidos foram Cidade Nova, Monte das Oliveiras, Petrópolis, Centro, Educandos, Bairro da Paz, Colônia Antônio Aleixo e Flores.

No interior, o município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus) tem registros de destelhamento de estádio, queda de árvores, tombamento de porte e destelhamento de residências. No Careiro da Várzea (distante 25 quilômetros da capital), foi registrado destelhamento de casas, sem vítimas. Em Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus), o fornecimento de energia foi comprometido em decorrência das fortes chuvas.

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: