Amazonas

Proposta de Paulo Guedes afeta indústria de refrigerantes do Pólo Industrial de Manaus (PIM)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, propôs uma redução de incentivos fiscais no polo de bebidas do modelo em função do plano de redução do Imposto de Renda de Pessoa jurídica (IRPJ). A mudança funcionaria como uma forma de compensação da proposta na segunda fase da reforma tributária. No entanto, se aprovada, ela prejudicaria o Polo Industrial de Manaus (PIM).

A reforma tributária proposta pelo governo Bolsonaro prevê um corte de 5 pontos percentuais do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica ao longo de dois anos. O valor total que esses subsídios e regimes especiais seria em torno de R$ 40 bilhões. A equipe de Paulo Guedes trabalha para conseguir obter um corte de 10 pontos percentuais no próximo ano, dessa forma, a alíquota seria reduzida em 15%. Um dos setores que podem sofrer esses cortes de subsídio seria indústria química, consequentemente a que produz o xarope de refrigerantes produzidos na Zona Franca de Manaus (ZFM).

A proposta casou reação de políticos do Amazonas em Brasília. “Paulo Guedes mais uma vez demonstra sua hostilidade aos interesses do Amazonas e desconhecimento do que o Congresso aprova. A PEC emergencial, ao determinar redução de subsídios, ressalvou a ZFM, portanto, o ministro não pode reduzir incentivos de nada produzido em Manaus”, afirmou o deputado federal e vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), em sua conta no Twitter.

“O Ministro Paulo Guedes mais uma vez ameaça possíveis cortes de incentivos fiscais na Zona Franca de Manaus. Absurdo! Se isso acontecer, será uma atitude contra o POVO, TRABALHADORES DA ZFM E INVESTIDORES. Essa seria uma ação NÃO REPUBLICANA. Prejudica inclusive o Brasil”, indignou-se o senador Eduardo Braga (MDB), também na rede social.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: