Amazonas

Informações sobre as buscas a jornalista e indigenista são confusas

Quase 48 horas depois, as informações sobre as buscas pelo jornalista Dom Philips, correspondente do The Guardian no Brasil, e o indigenista Bruno Pereira da Fundação Nacional do Índio (Funai) seguem confusas. Ambos estão desaparecidos desde domingo após uma viagem para a região da Terra Indígena Vale do Javari, que fica entre Atalaia do Norte e Guajará, oeste do Amazonas. 

Em nota enviada ao Vocativo, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) afirmou que o governador Wilson Lima, determinou o envio de reforço policial especializado para o município de Atalaia do Norte, no interior do estado, para apoiar as buscas e as investigações do desaparecimento.

O titular da 50ª Delegacia Interativa de Polícia Civil (DIP), delegado Alex Perez, montou uma força-tarefa entre as polícias Militar e Civil, além de voluntários para intensificação das buscas na região, que já foram iniciadas. A SSP-AM está tomando todas as medidas cabíveis para auxiliar na elucidação do caso, em colaboração ao Ministério Público Federal (MPF), Polícia Federal (PF) e Funai.

O Comando Militar da Amazônia (CMA), por sua vez, divulgou nota nesta segunda-feira (06/06/2022) afirmando que tem as condições de ir a campo para auxiliar nas buscas, mas só o fará quando receber autorização do chamado “Escalão Superior”. O comunicado sofreu duras críticas nas redes sociais. O Vocativo entrou em contato com o CMA ainda não respondeu até o fechamento desta matéria.

Já a Polícia Federal também não informou quantos agentes se encontram na região e qual será a sua participação nas buscas. Nenhum dos órgãos procurados pelo site soube informar quem está no comando geral da operação – ou mesmo se existe uma – e quais serão os passos a serem tomados.

A Marinha emitiu uma nota oficial em que informa que enviou uma equipe de Busca e Salvamento (SAR) da Capitania Fluvial de Tabatinga para o município de Atalaia do Norte para auxiliar nas buscas pela embarcação. Apenas um helicóptero do 1º Esquadrão de Emprego Geral do Noroeste estaria sendo utilizado nas buscas, além de duas embarcações e uma moto aquática.

Repercussão

O porta-voz do jornal The Guardian disse que está acompanhando a situação e em contato com as embaixadas brasileira e britânica. “O Guardian está muito preocupado e busca urgentemente informações sobre o paradeiro e a condição de Phillips. Estamos em contato com a embaixada britânica no Brasil e com as autoridades locais e nacionais para tentar apurar os fatos o mais rápido possível”, afirmou. O jornal The New York Times também deu divulgação para a notícia.

A Human Rights Watch divulgou nota em que diz que está muito preocupada com o desaparecimento. “É extremamente importante que as autoridades brasileiras dediquem todos os recursos disponíveis e necessários para a realização imediata das buscas, a fim de garantir, o quanto antes, a segurança dos dois”, diz a nota assinada pela diretora do escritório da Human Rights Watch no Brasil, Maria Laura Canineu.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: