Amazonas Covid-19

Governo Federal marca campanha de vacinação, mas esquece um detalhe: a vacina

Anunciada com pompa e circunstância, a campanha nacional “Mega Vacinação” contra a Covid-19 do Ministério da Saúde deve ter problemas. Isso porque ainda não foram enviadas doses de reforço para quem recebeu vacinas da Janssen

Atualizada às 18h

Anunciada com pompa e circunstância para este sábado (20/11/21) no Amazonas e mais cinco Estados, a campanha nacional “Mega Vacinação” contra a Covid-19 do Ministério da Saúde (MS) pode ter problemas. Isso porque até esta tarde, véspera do início, não foram enviadas doses de reforço para quem recebeu vacinas da Janssen.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa), não foram enviadas nem as doses para o reforço desse grupo, nem a nota técnica com a orientação dos intervalos. Em todo o estado, 53.275 receberam a dose única da Janssen.

O Ministério da Saúde atualizou esta semana a recomendação quanto à vacina da Janssen, aplicada anteriormente como dose única. A partir de agora, uma segunda dose da Janssen será aplicada com intervalo de oito semanas após a primeira. Após concluir o ciclo vacinal, uma dose de reforço será aplicada respeitando o prazo de cinco meses recomendado pela pasta.

O mais estranho é que o Brasil recebeu nesta quinta-feira (18/11/21) mais 1 milhão de doses da Janssen, que são parte das mais de 38 milhões produzidas pela farmacêutica americana e que estão encomendadas pelo Ministério da Saúde até o fim de 2021. Procurado pelo Vocativo, o Ministério não se manifestou até o momento.

Em nota, a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas- Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) afirmou que não recebeu nota técnica que orienta a recomendação para a aplicação da segunda dose Janssen com definições oficiais de período de intervalo para esta aplicação.

Podem receber a primeira dose os que têm 12 anos ou mais, que ainda não iniciaram o esquema vacinal. Os que podem receber a segunda dose são aqueles que atingiram ou ultrapassaram os intervalos entre doses recomendados atualmente: 21 dias para a Pfizer, 28 dias para a CoronaVac e 56 dias para a AstraZeneca. E os aptos a receber a dose de reforço são os imunossuprimidos que completaram o esquema vacinal há 28 dias e as pessoas acima de 18 anos que receberam a segunda dose há, no mínimo, cinco meses. 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: