Amazonas

Governo do Amazonas confirma retorno de aulas presenciais na terça (01/06)

Governador Wilson Lima afirma que “escola é um dos ambientes mais seguros para estar”

O Comitê Enfrentamento à Covid-19 decidiu, em reunião nesta sexta-feira (28/05), autorizar o retorno às atividades presenciais nas escolas estaduais da capital na modalidade híbrida. Os professores e demais profissionais das escolas voltam às atividades pedagógicas na segunda-feira (31/05). Já na terça-feira (1º/06) será a vez de receber os alunos.

O anúncio foi feito pelo governador Wilson Lima. “Estamos autorizando o retorno das aulas presenciais, de forma híbrida, a partir de terça-feira. Arrisco a dizer que a escola é um dos ambientes mais seguros para estar. Lá, há todas as condicionantes de uso de máscaras, de álcool em gel disponível, distanciamento social, além do que, há muitos alunos que vão para a escola por causa da merenda, então há também a segurança alimentar”, frisou.

Em 2021, a Secretaria de Estado de Educação e Desporto vai atender cerca de 230 mil estudantes na capital, em 224 instituições. Desse total, 74 escolas da rede estadual cedidas para o vestibular da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) retornam com as atividades presenciais, somente na quarta-feira (02/06).

Cerca de 13,8 mil profissionais da educação retornam aos trabalhos presenciais, após 6 meses de atividades presenciais suspensas. Desde dezembro, com o encerramento do ano letivo 2020, as aulas presenciais estavam suspensas.

Vacinação – As atividades retornam após todos os profissionais receberem a primeira dose da vacina contra Covid-19. Em Manaus, os trabalhadores da educação começaram a ser vacinados no dia 19 de maio. A maior parte dos trabalhadores recebeu a primeira dose da vacina AstraZeneca, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

De acordo com estudos divulgados pela instituição, a primeira dose da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford já garante eficácia geral de 76%. Com uma segunda dose de reforço, a eficácia da vacina sobe para 82,4%, confirmando os dados da produção de anticorpos já descritos anteriormente. No entanto, essa eficácia ainda não foi testada para todas as variantes do coronavírus que podem entrar na cidade.

O secretário de Educação em exercício, Luis Fabian Barbosa, ressalta que quase todos os profissionais da pasta já estão vacinados. “De fato, alcançamos mais de 80% de vacinados no interior e na capital já beira os 90%. Estamos prontos para voltar, e as nossas escolas estão, desde o ano passado, adaptadas para retornar. É um momento de recuperação do ensino. Por melhor que seja a estratégia de aula remota, nada substitui a presença do professor na sala de aula.

Protocolos – Assim como ocorreu no ano passado, alunos, professores e demais integrantes da equipe escolar devem estar atentos às orientações de segurança e prevenção à Covid-19. O uso de máscaras no ambiente escolar é, novamente, obrigatório, assim como o distanciamento social e a higienização correta das mãos.

Para isso, em 2020, as unidades de ensino da capital tiveram suas estruturas adaptadas, com a instalação de pias e dispositivos de álcool gel e sabão, além da disposição de tapetes sanitizantes na entrada das unidades e de sinalizações com os principais protocolos de segurança em saúde.

Ensino híbrido – As aulas serão retomadas na modalidade híbrida. As turmas foram divididas em dois grupos (A e B), que frequentarão a escola em dias alternados. Quando um grupo estiver na unidade, o outro deverá estar em casa, acompanhando as transmissões do “Aula em Casa” ou dando continuidade às atividades remotas designadas pelas escolas.

Os grupos serão definidos pela própria equipe escolar da unidade, que deverá informar os pais e/ou responsáveis. Às sextas-feiras, não haverá aula nas escolas, sendo esse dia reservado para o Horário de Trabalho Pedagógico (HTP) dos professores. A decisão, no entanto, não implica que os estudantes não terão atividades pedagógicas para realizar em casa.

Prevenção – As medidas de prevenção e proteção contra a Covid-19 seguem no Amazonas, como explica a diretora técnica da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Tatyana Amorim. “Estamos vivendo o alerta da introdução de novas variantes, e é preciso intensificar o monitoramento, com uma ação em portos e aeroportos para isolar casos suspeitos e identificar a entrada dessa variante. Estamos em parceria com as secretarias de saúde municipal e estadual e Anvisa nessa vigilância”, pontua Amorim.

Com informações da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom). Foto: Maurílio Rodrigues/Secom

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: