Amazonas

Garimpo na Bacia do Rio Madeira aumentou 157% em 13 anos

Dados da plataforma MapBiomas divulgados nesta sexta-feira (26/11/21) mostram que a área garimpeira na bacia do rio Madeira saltou de 3753 hectares em 2007 para 9660 hectares em 2020, uma expansão de 5907 hectares. O número representa aumento de nada menos que 157% no período e coincide com a invasão da comunidade de Rosarinho, nos arredores de Autazes, no interior do Amazonas.

Vale lembrar que a área de garimpos superficiais detectados para o ano de 2020 é o recorde histórico da série, o valor máximo nos 36 anos analisados. O MapBiomas mapeia a superfície do território nacional, ou seja, garimpos que estão acima da lâmina d’água e passíveis de observação por satélites, o que leva a crer que a situação é ainda pior e sem contar o ano de 2021.

Segundo César Diniz, coordenador técnico do mapeamento de mineração do MapBiomas, “é também reconhecido pela comunidade científica e de domínio público, que imagens de satélite da região já mostram atividade de balsas de extração de ouro, afixadas no atual trecho do rio Madeira, a pelo menos 1 mês atrás”. Cesar se refere às imagens dos satélites CBERS4A (do INPE) e Sentinel-2 (da ESA), ambos de domínio público, bem como imagens de alta resolução espacial e diárias da constelação de satélite da empresa Planet, de domínio privado, porém adquiridas pelo governo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: