Amazonas

Em plena crise, políticos do Amazonas tratam ideologia de gênero e ivermectina

Enquanto a Covid-19 está prestes a completar 250 mil casos e sete mil mortes no Amazonas e a crise da falta de oxigênio nos hospitais ainda está longe do fim, políticos locais usam tempo e verba pública para tratar de outros assuntos com pouca ou nenhuma ligação com a pandemia.

O vereador Raiff Matos (DC) ingressou nesta segunda-feira (18/1) com pedido de esclarecimento, junto ao Conselho Municipal de Educação (CME), sobre a Resolução que trata da inclusão do tema diversidade sexual e de gênero nas escolas municipais. O pedido de esclarecimento foi acompanhado pelos vereadores Ivo Neto (Patriota), Márcio Tavares (Republicanos) e João Carlos (Republicanos), que fazem parte da bancada evangélica da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

Sobre esse assunto, o Supremo Tribunal Federal (STF), em junho de 2020, julgou inconstitucional a Lei 6.496/2015 do Município de Cascavel (PR) que vedavam a adoção de políticas de ensino que se referissem a “ideologia de gênero”, “gênero” ou “orientação de gênero”. Em fevereiro de 2019, o Tribunal de Justiça do Amazonas declarou a inconstitucionalidade dos art. 1º e 2º da Lei Municipal nº 439/2017 que vedavam a inserção de orientação aplicada à implantação e ao desenvolvimento de atividades pedagógicas, visando à reprodução do conceito de ideologia de gênero na grade curricular das escolas públicas municipais de Manaus.

Medicamentos

Ainda nesta segunda, em reunião extraordinária na Assembleia Legislativa do Amazonas, o deputado Saullo Vianna (PTB), defendeu o uso de R$ 20 milhões para a compra de azitromicina e ivermetina para auxiliar no combate à Covid-19.

O problema é que ambos os medicamentos não possuem efeito algum contra a doença, algo reconhecido por entidades como a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e mais recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que no último domingo deixou claro que uma das razões para a aprovação para uso emergencial das vacinas de Oxford e da CoronaVac foi a total ausência de terapias efetivas contra a doença.

Em novembro de 2020, o deputado Saullo Vianna foi um dos alvos da Operação Ponto de Parada, da Polícia Federal, que o investiga por suposto envolvimento em esquema de desvio de recursos públicos do Programa Nacional de Transporte Escolar (PNATE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Enquanto isso, o Amazonas registra atualmente 232.434 casos da Covid-19, 6.308 mortes e 1.766 pacientes internados.

Foto: Assessoria de Comunicação do vereador

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: