Amazonas Covid-19

Covid-19: maioria dos internados no Amazonas está com vacinação atrasada

Dos 84 dos pacientes internados com Covid-19 no Amazonas atualmente, 65% estão com esquema vacinal incompleto e nenhum deles tomou dose de reforço. A informação foi repassada ao Vocativo pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) nesta terça-feira (11/01/22).

Dos 84 pacientes internados com a doença e divididos em leitos clínicos e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) das redes pública e particular de saúde em Manaus, 36 não tomaram nenhuma dose de vacina contra Covid-19; 19 tomaram apenas uma dose estando com o esquema vacinal incompleto, o que representa 65% dos internados. Há ainda 29 pacientes estão com o esquema vacinal completo, considerando vacinação completa (uma dose da Janssen ou duas doses de outros imunizantes).

Dados parciais do Programa Nacional de Imunização apontam que 5.563.403 doses foram aplicadas em todo o estado até esta segunda-feira (10/11), sendo 2.779.985 de primeira dose, 2.249.199 de segunda dose, 56.968 com dose única, 477.220 de 1ª dose de reforço e 31 de 2ª dose de reforço. 

Importância da dose de reforço

A informação torna ainda mais importante as doses de reforço da vacina. Isso porque a proteção contra a Covid-19 oferecida por duas doses das vacinas da Pfizer/BioNTech e da Oxford/AstraZeneca começa a diminuir dentro de seis meses, o que mostra a necessidade de doses de reforço, informa estudo feito por pesquisadores do Reino Unido.

O estudo britânico ZOE Covid apontou que, no caso da vacina Pfizer/BioNTech, a eficácia um mês após a segunda dose, que é de 88%, cai para 74% passados cinco ou seis meses. Para o imunizante da AstraZeneca, a eficácia caiu de 77%, um mês depois, para 67% após quatro ou cinco meses.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: