Amazonas

Cheia do Rio Negro em 2022 não deve bater recorde, mas CPRM faz alerta

Sete das dez maiores cheias do Rio Negro registradas em Manaus aconteceram nos últimos dez anos. O fenômeno deste ano, embora não deva quebrar o recorde de 2021, será mais um evento servero a acontecer na região

Sete das maiores cheias da história do Rio Negro registradas em Manaus aconteceram nos últimos dez anos. A informação foi trazida nesta terça-feira (31/05/2022) pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) durante o terceiro Alerta de Cheia. O fenômeno deste ano é mais um evento servero a acontecer na região, ainda que não deva quebrar o recorde de 2021.

Para Manaus, a previsão é que o rio Negro atinja um valor de aproximadamente 29,65 m, com um intervalo provável variando entre 29,47 e 30,00 m (considerando 80% de intervalo de confiança). Tanto a cota de inundação (27,50 m) quanto a cota de inundação severa (29,00 m) já foram superadas no município. Segundo o modelo utilizado, a probabilidade de que o rio venha atingir a cota máxima histórica (30,02 m em 2021) é de apenas 8%.

Ao longo da apresentação, um dado importante foi trazido pela pesquisadora Luna Gripp, do Serviço Geológico do Brasil. Das dez maiores cheias já registradas em Manaus ao longo da história, sete, incluindo a de 2022, aconteceram nos últimos dez anos, incluindo a maior de todas, em 2021. O recorde já havia sido quebrado nos anos de 2009 (29,77m) e 2012 (29,97m).

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: