Amazonas

Após denunciar esquema, jornalista é alvo de perseguição em Manaus

Após denunciar um suposto esquema de peculato e assédio moral na TV Encontro das Águas, antiga TV Cultura, em Manaus, a jornalista e advogada Nauzila Campos afirma estar sofrendo perseguições. Enquanto isso, o governo do Amazonas silencia sobre o caso.

Em julho, Nauzila divulgou vídeo em seu perfil no Twitter pra denunciar que funcionários da TV Encontro das Águas estariam sendo alvo coação e assédio moral pelo diretor-presidente da emissora, Oswaldo Jodas Lopes Filho e o servidor concursado Welder Alves Pedroso.

Os dois são acusados de programarem diárias para servidores comissionados e logo em seguida pedindo o valor em dinheiro físico, para não deixar vestígio de transferência bancária. Com medo de demissão, os funcionários se sentem coagidos e são obrigados a aceitar o esquema, que funcionaria desde 2020.

Após a denúncia, a jornalista – que era servidora concursada da TV antes de pedir exoneração no dia 20 de agosto – passou a ser perseguida primeiro dentro do trabalho, inclusive sendo deslocada da sua função. “Sou locutora noticiarista lotada no setor de jornalismo desde 2010. E locução não é só de radio. Minhas funções são de rádio E TV. Sempre foram, como bem disse o edital do concurso de 2009. Querem que eu vá pra rádio pra sair do vídeo. Nunca admitirei essa perseguição”, afirmou.

No último dia 04 de agosto, Nauzila postou uma imagem nas redes sociais mostrando a instalação de uma câmera ao lado da sua mesa na redação. Como isso ocorreu após a denúncia, a jurnalista acredita se tratar de mais uma forma de intimidação. Mas não parou por aí.

A jornalista, que sofre de depressão, precisou depor em inquérito de ação promovida pelo diretor-presidente da emissora, Oswaldo Jodas Lopes Filho. Ao chegar no 24º Distrito de Polícia (24º DIP) percebeu que seu sigilo médico havia sido quebrado. “Vi anexado no inquérito todo o histórico médico da minha vida, todos os meus laudos, minhas licenças. Meu sigilo de protocolo médico que cabe só ao [setor de Recursos Humanos] RH foi quebrado. Estão insistindo que eu fiz isso por estar mentalmente afetada”, relata Nauzila.

Apesar da situação de constrangimento, Nauzila relatou que não pensa em desistir da denúncia. A advogada tentou por diversas vezes alertar o governador do estado, Wilson Lima (PSC) sobre o suposto esquema na TV pública, bem como a intimidação que vem sofrendo. No entanto, não há, até o momento, nenhuma manifestação do governo sobre o caso.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: