Amazônia

Amazônia: ‘Centrão’ apoia retrocessos na pauta socioambiental

Após a chamada janela partidária, período de 3 de março a 1º de abril em que parlamentares mudaram de partido mirando as eleições de 2022, o MDB e o PL se tornaram os partidos com mais representantes nos estados da Amazônia Legal, com 14 e 13 deputados federais, respectivamente. E essa bancada votou em peso contra o meio ambiente ao longo desses últimos meses. O dado é de levantamento da Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS), em parceria com a iniciativa Uma Concertação pela Amazônia por meio do Grupo de Trabalho Inteligência Política.

As entidades analisaram como os deputados federais da região têm se comportado em relação a sete pautas ambientais emblemáticas que tramitaram na Câmara Federal desde 2019, a exemplo do PL de regularização fundiária (PL2633/2020) e do PL do Veneno (PL6299/2002).

Do total de 91 deputados federais da região, de 23 partidos políticos, 46 deles tiveram indicadores negativos de acordo com a análise, que pontuou parlamentares, partidos e as bancadas nos estados a partir de uma métrica que variava de -7 a +7 – quanto mais negativa a pontuação, mais contrário a medidas de proteção ao meio ambiente e de desenvolvimento sustentável.

Na avaliação das médias de desempenho por estado, o melhor resultado ficou para o conjunto de parlamentares de Rondônia, com média 2. O estado de Roraima obteve a menor média, com -0,33.

Deputados que pertencem aos partidos da coligação pela reeleição do presidente Bolsonaro são maioria nos estados da Amazônia Legal e votaram na contramão do desenvolvimento sustentável. São 30 deputados federais de partidos aliados ao presidente, sendo 13 do PL, 9 do PP e 8 do Republicamos. Os três partidos, ao lado de PSC e Avante, estão posicionados entre os top 5 cujos parlamentares votaram majoritariamente contra avanços e a favor de retrocessos na pauta ambiental.

Os deputados da Amazônia Legal da coligação para a eleição do candidato Luis Inácio ‘Lula’ da Silva somam 21 parlamentares. Apenas um deputado pertence ao PDT de Ciro Gomes e 19 aos partidos da coligação de Simone Tebet.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: