Amazonas

Amazonas não possui relatórios sobre risco de desastres naturais em pontos turísticos

O Amazonas ainda não possui relatórios sobre áreas de risco de desastres naturais em atrativos turísticos como cavernas, cachoeiras e cânions no Estado. Apenas nesta terça-feira (11/01/22), a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) solicitou estudos sobre possíveis situações de risco aos 24 municípios do Amazonas que fazem parte do Mapa do Turismo Brasileiro.

A medida só aconteceu após a tragédia ocorrida em Capitólio, Minas Gerais, no sábado (08/01), quando um deslizamento de pedras no Lago de Furnas atingiu três embarcações com turistas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, pelo menos 10 pessoas morreram e mais de 30 ficaram feridas.

O desastre motivou uma reunião promovida pelo Ministério do Turismo, via videoconferência, com os representantes do Fórum Nacional de Dirigentes e Secretários Estaduais de Turismo (Fornatur), na segunda-feira (10/01/22). Segundo o presidente da Amazonastur, Sérgio Litaiff Filho, o órgão já está produzindo relatórios sobre atrativos turísticos dos 24 municípios que fazem parte do Mapa no Amazonas: Barcelos; Santa Izabel do Rio Negro; Benjamin Constant; Tabatinga; Manaus; Careiro; Iranduba; Manacapuru; Manaquiri; Novo Airão; Presidente Figueiredo; Rio Preto da Eva; Borba; Humaitá; Novo Aripuanã; Anamã; Anori; Tefé; Uarini; Boa Vista do Ramos; Maués; Parintins; Itacoatiara e São Sebastião do Uatumã.

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: