Amazonas

Amazonas é um dos 5 estados do país com maior índice de tuberculose urinária

Febre, infecção urinária, sentir dor ao urinar, dor na região lombar e sangue na urina podem ser sintomas de uma doença silenciosa e perigosa: a tuberculose geniturinária. A doença, quando não diagnosticada e tratada ou quando o tratamento é suspenso, pode provocar complicações em outros órgãos do corpo, alerta a Sociedade Brasileira de Urologia. O Amazonas está entre os cinco estados com maior número de casos no país, apesar da subnotificação.

Por conta disso, a Sociedade Brasileira de Urologista, desde o ano passado, está fazendo uma campanha para levar as pessoas a fazerem o exame de cultura para tuberculose. Segundo o urologista Flávio Antunes, a tuberculose geniturinária é uma das consequências mais graves da tuberculose pulmonar. A infecção acontece através da corrente sanguínea, e também pode atingir os gânglios, a pleura, o rim, meninges e o intestino.

“A doença é causada pela mesma bactéria da tuberculose pulmonar. A grande maioria das vezes, a doença começa com uma infecção pulmonar que pode se alojar em diferentes partes do corpo. As consequências podem ser tuberculose óssea e tuberculose urinária. Isso pode ocorrer porque o paciente acaba negligenciando os sintomas, como febre, tosse persistente e perda de peso. Como o rim, em função da carga de sangue que recebe, é um órgão com grandes chances de ser acometido por essa doença”.

“Estima-se que a doença tem incidência entre 7,1% e 15% dos casos de tuberculose pulmonar, mas muitas nem chegam a ser notificadas. No Amazonas, por exemplo, em 2021, houve o registro de aproximadamente 3.200 novos casos de tuberculose pulmonar. Sendo assim, os especialistas esperavam o registro de 100 a 300 casos de tuberculose geniturinária, porém, não houve o registro de nenhum caso nos dois últimos anos. Porém, o Estado está entre as cidades com o maior número de casos absolutos, configurando entre os cinco estados com maior incidência de casos proporcionais”, relatou.

Para o diagnóstico da tuberculose urinária, Antunes ressalta que o especialista solicita um exame específico. “Os sintomas causam queixas de uma cistite comum. Muitas vezes, o paciente pensa que é apenas uma inflamação da bexiga. Num exame de urina comum, o resultado para tuberculose urinária dá negativo. É necessário solicitar um exame para o diagnóstico precoce através da realização do teste rápido molecular de amostra urinária. Portanto, o diagnóstico precoce possibilita não somente intervir na evolução da doença, mas também na prevenção de possíveis complicações”.

Ele alerta ainda que a doença, se não tratada, pode evoluir e destruir o ureter, a bexiga e, no caso do homem, pode provocar um abcesso nos testículos. Nas mulheres, além do aparelho urinário, a tuberculose geniturinária pode afetar trompas, endométrio e ovários, causar infertilidade, doença inflamatória pélvica, amenorreia ou aumento do fluxo menstrual.

Com informações da BS2 Comunicação Estratégica

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: