Amazonas Covid-19

AM: 6 milhões de doses de vacinas aplicadas e nenhum registro de evento adverso grave

Com mais de 6 milhões de doses de vacinas contra Covid-19 aplicadas no estado, o Governo do Amazonas destaca que não há registros de eventos adversos graves ocasionados pelo imunizante. A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) tem feito o monitoramento e destacou, nesta quinta-feira (10/02/2022), orientações principalmente em relação à aplicação de doses em crianças de 5 a 11 anos.

De acordo com a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, o monitoramento é feito pela fundação por meio do Centro de Referência em Imunobiológicos Especiais (Crie), que funciona nas dependências da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD). Ela destaca que o Amazonas não registrou, desde o início da vacinação, eventos adversos graves em decorrência da vacinação contra Covid-19.

“A Secretaria de Estado de Saúde, por meio da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, vem informar e tranquilizar a todos, principalmente ao pais de crianças da faixa etária de 5 a 11 anos, que não temos notificados eventos adversos graves relacionados à vacinação de prevenção à Covid-19”, enfatizou Tatyana Amorim.

Com a volta às aulas, a diretora-presidente da FVS-RCP reforça a importância de vacinar o público infantil. “Agora, com o retorno às aulas, é mais importante ainda que nossos filhos estejam vacinados, nossas crianças de 5 a 11 anos estejam vacinadas. Sendo assim, pais, mães e responsáveis, acreditem na vacina, e vamos vacinar, porque a vacina é um ato de amor”, disse.

Orientações

A infectologista pediátrica Solange Dourado, coordenadora do Crie, orienta os pais e responsáveis com relação aos cuidados que podem ser adotados antes e após a aplicação de doses em crianças de 5 a 11 anos. “Para trazer as crianças para a vacinação, a única orientação é que a criança não esteja com quadro agudo, ou seja, não esteja doente recentemente com quadro de febre, gripe. Evitar trazer a criança se ela estiver com quadro assim. A gente espera melhorar um pouquinho, e quando a criança estiver bem, pode vacinar. Essa é a única orientação”, informou a coordenadora do Crie.

Além disso, cuidados também podem ser adotados por pais e responsáveis após a aplicação do imunizante. “Após a vacinação, caso a criança apresente alguma reação, febre ou mal-estar, ela pode ser medicada com o remédio habitual em casa. Mas, se a mãe achar que a criança está um pouco mais comprometida do que ela esperaria, lógico que pode procurar uma unidade básica, auxílio médico para que receba as orientações”, concluiu.

Com informações da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: