Amazônia

Acidente na BR-319: Dnit vistoriou ponte dias antes da tragédia

Quase uma semana após desabamento de uma ponte sobre o Rio Curuçá, no Km 25 da BR-319, em Careiro, no Amazonas, continuam as buscas e investigações do acidente que provocou a morte de pelo menos quatro pessoas e ferimentos em 14. Segundo o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Amazonas (CRE-AM), uma inspeção havia sido feita antes do ocorrido.

Segundo Fernando Catunda, Engenheiro Civil e representante do CREA-AM nos trabalhos de apuração, a primeira suspeita é que houve excesso de peso no momento do acidente. A carga que passava pelo local na hora do desabamento parece ter sido muito acima da capacidade da ponte.

“Inicialmente entendemos que a ruptura se deu pelo excesso de carga pontual devido a parada de caminhões e de uma carreta que transportava um rolo compactador e varias toneladas de cimento, tudo isto, foi devido a ruptura da estrutura (galeria) de passagem de fauna, que se localiza na cabeça de ponte (sentido Careiro Castanho)”, explica.

Ainda resta saber, no entanto, se houve alguma negligência por parte das autoridades responsáveis pela ponte. Catunda disse ainda ao Vocativo que aguarda um posicionamento do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). “Ainda estamos solicitando junto ao Dnit os relatórios de inspeção da ponte, pelo que sabemos houve uma inspeção dias antes no local, contudo, somente foi observado a galeria de passagem de fauna”, afirmou.

Até o momento, as vítimas fatais do acidente identificadas pelo Instituto Médico Legal (IML) são: Marcos Rodrigues Feitoza, 39 anos; Rômulo Augusto de Morais, 36 anos; Maria Viana Carneiro, 66 anos e Darliene Nunes Reis da Cunha, 25 anos.

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: