Sem categoria

Projeto de circo inicia circulação em formato digital no Amazonas

A reciclagem como uma ação sustentável e de preservação do meio-ambiente entra em cena com o projeto digital “Interditado: Circulação Além da Ponte”, da artista manauara Karine Magalhães. Iniciando neste sábado (08/05), pelo município de Novo Airão, o projeto também será realizado em Iranduba, Manacapuru (ambos em 09/05) e Manaus (15/05).

Contemplado pela Lei Aldir Blanc, no Prêmio Feliciana Lana, da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa (SEC-AM) , a iniciativa circense inclui, ainda, o espetáculo “Interditado”, último trabalho dirigido por Selma Bustamante; a oficina “Arte e Sustentabilidade”; e encerra com a live “Caminhos da Sustentabilidade”, que ocorre no dia 16/05, às 19h, no perfil @palhaca.meiokilo no Instagram, que será mediada pela artista Jaqueline Santos e participação da palhaça Meio Kilo.

Pelas dificuldades de acesso à internet e comunicação da população que reside nos municípios do interior do Amazonas e por conta da pandemia do novo coronavírus, a programação foi adaptada ao modo semipresencial disponibilizando a instituições parceiras DVDs e pen-drives com o espetáculo na íntegra e a oficina “Arte e Sustentabilidade”, que trabalha a reutilização de materiais recicláveis e está dividida em dois segmentos: infantil, com a confecção de brinquedos, e adulto, com a elaboração de utensílios domésticos. 

As atividades serão mediadas pelas instituições Visão Mundial, em Manacapuru e Novo Airão, Abrigo Coração do Pai, em Iranduba, e Instituto Amazônia, em Manaus, que farão a distribuição de kits com materiais para as oficinas às famílias cadastradas em programas sociais que desenvolvem localmente, além da exibição do espetáculo “Interditado” e da oficina, mantendo o distanciamento social e com a doação de máscaras aos participantes.

Desenvolvimento do Projeto – “Interditado: Circulação Além da Ponte” é um desdobramento do espetáculo “Interditado”, de 2018, cuja temática explora as problemáticas ambientais da poluição dos rios e igarapés na cidade de Manaus, utilizando a linguagem clownesca e do tecido acrobático, através da palhaça Meio Kilo, de Karine Magalhães, gerando uma reflexão social que fortalece a conscientização ambiental de forma integral ao público, além de discutir um tema tão urgente e necessário para a região amazônica.

Segundo a idealizadora da circulação, Karine Magalhães, o trabalho busca promover a conscientização ambiental à população que convive diretamente com espaços de natureza.

“É um espetáculo livre para todos, mas é voltado ao público infantil justamente por ser uma faixa em que precisamos ensinar sobre a valorização do meio ambiente. Moro no centro da cidade e não consigo tomar um banho no igarapé perto da minha casa por conta do despejo de lixo e da falta de saneamento básico. No tempo da minha avó isso era possível. Falta a valorização tanto do meio ambiente, quanto cultural, de reconhecer o rio, nosso tambaqui com farinha, que é nosso e precisamos respeitar e cuidar”, declarou a artista.

Sobre Karine Magalhães – Karine Magalhães é atriz, palhaça e acrobata aérea. Bacharela em Teatro pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Integrante da Coletiva de Palhaças, com pesquisa em palhaçaria feminina. Também faz parte do grupo Roda na Praça com apresentações circenses e integra o CETA – Coletivo Experimental de Teatralidade.

Foi contemplada pelo Prêmio Feliciano Lana da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, pela Lei Aldir Blanc em 2020 com o projeto “Interditado – Circulação Além da Ponte” e no Edital Prêmio Conexões Culturais 2019, da Prefeitura de Manaus, com a “Circulação do espetáculo Interditado nas Escolas Municipais de Manaus”.

Em 2020 teve seu artigo publicado na Revista Arte Documenta (Edição#5) sobre “A linguagem do palhaço em diálogo com o processo de desmecanização do tecido acrobático”.

Com informações e foto da Secretaria de Estado da Comunicação (Secom)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: